Living The Life Without Labels

Posts com tag “Igreja

Skymetal lançará coletânea comemorativa dos 20 anos da banda e anuncia campanha para ajudar ex-integrante que está lutando contra o câncer

O Skymetal estará lançando, se possível ainda esse mês, uma coletânea celebrando os nossos 20 anos de estrada. O material contará com musicas dos nossos 4 álbuns e algumas faixas da nossa primeira demo e versões ao vivo. TODA A RENDA que for capitada pelas vendas da coletânea será REVERTIDA para o tratamento medico do nosso antigo baixista e amigo Lucio Rodrigues da Silva que luta bravamente contra um câncer.

Às lojas, selos e outros parceiros que queiram participar desta iniciativa, façam contato com o nosso brother Cássio Adriano A. Oliveira para mais detalhes.

Quem quiser ajudar o Lucio de forma mais rápida e direta segue adiante a conta bancaria para o deposito de ofertas.

Caixa Econômica Poupança
Agência 0162
Operação 013
Num da Conta: 00050603-0
CPF: 015.075.126-51
Lúcio Rodrigues da Silva

Contamos com a sua ajuda!
Deus abençoe a todos!

Via: Facebook


Imagem

Festival de Rock Cristão em Mesquita – RJ neste próximo fim de semana


O guitarrista de Korn diz que os ataques da comunidade cristã são “realmente desanimadores”

O guitarrista Brian “Head” Welch de Korn foi entrevistado recentemente no programa de entrevistas “Real Talk” de Justin Miller ((a.k.a. Pastor J), pastor principal da Real Life Christian Church. Você pode assistir as imagens no vídeo que aparece abaixo.

Welch, que deixou o Korn em 2005 depois de se tornar um cristão e retornou à banda oito anos depois, falou sobre a crítica que recebeu dos membros mais conservadores da comunidade cristã por fazer parte da cena do rock secular, que muitos acreditam ser sombria e mal.

“Eu passei por uma mentalidade religiosa antes também, e eu lembro que eu disse ao baixista do Korn que eu estava, tipo, ‘Como você pode ir tocar essas músicas, bro? Você deveria vir comigo. Nós faremos outra coisa por conta própria “, admitiu Welch. “Então eu entendi isso, eu não estava atacando ele como as pessoas fazem on-line, mas eu tenho essa mentalidade, então eu tento não ficar muito louco, mas quando eles te atacam, fica realmente desanimador, e é difícil não ficar amargo Mas estou tentando encorajar as pessoas a fechá-lo, cara, porque se você não está amando, então está perdendo tudo.”

Ele continuou: “Sabe, ‘o amor é paciente, o amor é amável’, diz Paulo em I Coríntios 13, e não rude. E todos eles são rudes lá fazendo isso. Então eu chamo de gangsters de teclado, porque eles estão atrás do computador do teclado e eles nunca falariam desse jeito com as pessoas, mas online, eles são [viciosos], e por isso é realmente desanimador “.

O guitarrista acrescentou: “Eu apenas diria, vocês devem apenas … você tem que quebrar isso, cara. Isso é tudo sobre amor, e é como, deixe o Senhor ensiná-los lentamente através das Escrituras e tudo o que deixar vai em suas vidas e no tempo.Talvez vai demorar anos para algumas pessoas para deixar as coisas fluírem , mas temos que dar-lhes paciência. ”

Ambos Welch e o baixista do Korn Reginald “Fieldy” Arvizu tiveram altamente público, embora separado, experiências de conversão, aqueles que foram saudados com um certo montante de ceticismo.

Welch se juntou ao Korn por causa de algumas apresentações ao vivo em 2012 antes de se tornar oficialmente parte da programação novamente no início de 2013.

O livro de memórias de Fieldy, “Got The Life: My Journey Of Addiction, Faith, Recovery And Korn”, detalha suas lutas com o vício de drogas e álcool durante os primeiros anos de Korn e como ele se tornou um cristão nascido de novo para ajudar como sóbrio.

Traduzido de Lanomia’s Lair


O poder da influência

unnamed

Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor?… Mateus 5.13

No dia 9 de fevereiro de 1964, os Beatles apareceram na televisão e cativaram a juventude do mundo todo. Depois de ouvir a música e observar o visual deles, fiz o que milhões de jovens fizeram — pedi a meus pais que me deixassem usar cabelos compridos.

Na sequência, formei uma banda de garagem com o meu melhor amigo. A apresentação dos Beatles teve impacto tão grande em nós que tentamos intencionalmente ser como eles. Para mim, foi uma demonstração importante do poder da influência.

Anos mais tarde, o poder da influência tornou-se algo muito mais significativo para mim, quando comecei minha jornada como seguidor de Cristo. Eu queria viver sob a Sua influência — mas também queria influenciar outros, mostrando-lhes o Salvador.

Em parte, isso é o que Jesus nos desafia a entender no evangelho de Mateus 5:13-16. O sal e a luz são fatores de influência neste mundo sombrio e corrompido. E Cristo — que é a Luz do mundo — nos chama para sermos também luzes que influenciam. O Mestre, que é a perfeita pureza, diz-nos que devemos ser o sal que dá sabor e impede que as coisas se estraguem.

Neste mundo cheio de necessidades, não sejamos apenas influenciados por Cristo: sejamos também influenciadores no que diz respeito a Cristo.

Como “sal da terra”, os cristãos fazem com que outros tenham sede da “Água da Vida”.

Portas abertas para o Metal Cristão: Antidemon em missão em Cuba

15894845_1839893179587768_248459936943856724_n

Após a morte do ditador comunista Fidel Castro, abre-se um novo horizonte para o cristianismo em terras cubanas. O líder da Antidemon, Pr. Batista, deixou o recado no Facebook neste dia 3 de janeiro. Segue a transcrição traduzida em português, publicada na página Antidemon En Cuba:

Na reta final de preparação para a nossa missão em Cuba, que terá lugar no final do mês de fevereiro de 2017, gostaríamos de convocar os guerreiros e aliados deste projeto de salvação. Muitos já nos enviaram mensagens… Muitos estiveram e estão em oração… alguns foram capazes de nos ajudar enviando algumas ofertas… e por pequena que fosse, nos encorajou a nunca desistir de chegar a Cuba. Ainda temos uma grande lista de necessidades para esta missão a ser feita… porque, como já tínhamos informado, em Cuba, ninguém pode nos ajudar financeiramente. Será tudo por nossa conta! As viagens aéreas (um irmão já nos garantiu a compra das viagens de ida e volta), hospedagem, alimentação e transporte interno… tudo terá ofertas voluntárias de pessoas como você.
Então, se você sentir de estar conosco nesta missão… escreva para nós e transmita os nossos dados. Não importa o quão pequena seja a tua ajuda, certamente adicionados a outros vai fazer uma diferença enorme e nos dar a oportunidade de conhecer esse desafio. Lembre-se de enviar o seu nome completo para pintar a bandeira de Cuba que queremos para fazer flicker em cada evento.
Um grande abraço.
Que Deus abençoe.
Batista Antidemon.”

Então, chegou a nossa vez! Vamos ajudar a espalhar a mensagem do Evangelho em Cuba!


O exemplo de Perpétua e Felicidade

unnamed(2)

Gregorio Vivanco Lopes  

A todo momento lê-se na imprensa, vê-se na televisão, ouve-se no rádio que é preciso tomar medidas contra a desigualdade, que esta aumenta, que o governo não consegue controlá-la etc. etc.

Mas nunca se faz a distinção – absolutamente indispensável – entre a desigualdade exagerada e abusiva, portanto condenável, e a desigualdade boa e legítima, que está de acordo com a ordem natural das coisas. De modo que a impressão subliminar que o noticiário transmite é de que toda desigualdade, seja qual for, é sempre um mal e deve ser erradicada.

Segundo essa concepção, o ideal — não explicitado, mas latente — seria alcançado numa sociedade onde houvesse a igualdade absoluta, de todos os modos e em todas as formas. É a utopia revolucionária em sua formulação crua e nua.

Tal teoria acaba arrombando as portas das mentes das pessoas, que não se dão ao trabalho de refletir e analisar aquilo que vem subentendido no noticiário, instalando-se assim no universo de conhecimentos de cada indivíduo como uma espécie de verdade evidente, que não é preciso demonstrar.

*    *    *

Ora, nada de mais falso. As desigualdades exageradas e abusivas são más, não por serem desigualdades, mas por serem exageradas e abusivas. As desigualdades justas e harmônicas são um bem. Não seria difícil provar essa tese, mas seria longo e não caberia nesta seção. Baste-nos lembrar o ensinamento de Plinio Corrêa de Oliveira:

“Em um universo no qual Deus criou desiguais todos os seres, inclusive e principalmente os homens, a injustiça é a imposição de uma ordem de coisas contrária a que Deus, por altíssimas razões, fez desigual. Assim, a justiça está na desigualdade. […] Com efeito, Deus criou as desigualdades, não aterradoras e monstruosas, mas proporcionadas à natureza, ao bem-estar e ao progresso de cada ser, e adequadas à ordenação geral do universo. E tal é a desigualdade cristã” (A justiça está na desigualdade cristã, “Jornal da Tarde”, 9-6-1979).

Para o espírito malfazejo da Revolução, toda desigualdade deve gerar um ódio e uma luta de quem é menos contra quem é mais. Pelo contrário, onde entrou o espírito autenticamente cristão, a desigualdade gera respectivamente o serviço e a proteção, ligados pelo laço do amor a Deus.

Foi o que se deu, por exemplo, com as santas Perpétua e Felicidade (século III). Perpétua era uma nobre romana muito rica, que se converteu ao cristianismo. Felicidade era sua escrava, que igualmente se converteu. Por isso foram conduzidas à prisão e condenadas à morte. Amarradas com arame e colocadas na arena diante de uma vaca brava, esta a princípio as atacou, mas depois desistiu.

O povo sanguinário que a tudo assistia pediu então que lhes cortassem as cabeças. A senhora e a escrava abraçaram-se emocionadas. Felicidade teve sua cabeça cortada por um golpe de machado. O verdugo, muito nervoso, errou o golpe em Perpétua. Ela deu um grito de dor, mas em seguida posicionou melhor a cabeça e indicou ao verdugo onde deveria atingi-la.

De tal modo elas foram unidas na fé, que a senhora e a escrava morreram juntas, sendo por isso seu martírio celebrado pela Igreja no mesmo dia 7 de março.

Sem querer de nenhum modo justificar aqui a escravidão romana, que tinha aspectos altamente censuráveis, a lição que nos dão Perpétua e Felicidade é de como a fé cristã e o amor de Deus unem de modo perfeitíssimo pessoas colocadas nos extremos opostos da escala social. Perpétua não desprezou Felicidade, nem esta se revoltou contra a sua senhora. Permanecendo cada uma na sua condição social, o amor de Cristo as uniu na Terra e na Eternidade.

Como é injusta e antinatural a pregação de uma

igualdade a qualquer preço!

 

(*) Gregorio Vivanco Lopes é advogado e colaborador da ABIM

Fonte: Agência Boa Imprensa – (ABIM)


O peleguismo patético da Missão Integral

6551479033_0ed427d073

Depois de revelar-se como a apostasia comunista da teologia cristã e passar a propor, sem mais disfarces falsas doutrinas, a Missão Integral decide dar o derradeiro tiro no pé assumindo descaradamente, como grupo, o seu apoio incondicional aos desmandos do Partido dos Trabalhadores. 

O que eram casos isolados, ganha contornos de posição oficial do movimento a partir da divulgação do patético manifesto de apoio a este governo espúrio. Os autores baseiam os seus argumentos falaciosos na proposta de defesa da democracia, como se tal empreitada a fim de se legitimar não dependesse, de fato, da constatação de que está ai um governo democraticamente eleito e não o resultado de um grande conluio de bandidos que depenaram o patrimônio público a fim de ganhar as eleições passadas, além de cometerem diversas e comprovadas fraudes eleitorais objetivando garantir, a qualquer preço, a “vitória”nas urnas. E não são tais fraudes e prevaricações o objeto da maioria das investigações? Estamos diante do quadro absurdo em que o ladrão rouba um banco, compra bens diversos e depois reclama do direito a propriedade privada quando o estado decide amealhar seus bens! É patético. Um governo que não tem legitimidade reclamando do uso dos mecanismos possibilitados pelo estado de direito para a sua deposição.

Quem deseja conhecer o patético manifesto e os pelegos que o assinaram, LEIA AQUI.

Faço coro ao texto de Braulia Ribeiro a seguir e lamento que a TMI tenha se revelado um mal tão danoso à Igreja quanto a teologia da prosperidade, tanto mais quando se quer transformar na quarta pessoa da Trindade, este partido de ladrões que nos governa.

Democracia Pode, Mas Desde Que Seja do Meu Jeito

Braulia Ribeiro
Estou com uma canseira danada do intelectualismo fascista. A pretensão destes neo-fascistas é a da posse absoluta da verdade. Veja o que fez Chico ao proibir a apresentação de uma peça com textos seus. Acabei de ler um artigo completamente idiota publicado por um blog americano que pretende contar a “verdade” sobre o que está acontecendo no Brasil. A “verdade” a que o artigo se refere é a versão petista de que tudo não passa de uma reação da classe burguesa contra o “pobre” governo proletário.
18086461Infelizmente este espírito ganhou uma versão evangélica na forma do Manifesto da Missão Integral. Em alguns parágrafos um grupo de pastores e teólogos e pastores brasileiros exemplificam claramente esta metamorfose do bem em mal, do direito no equívoco, que este neo-fascismo preconiza.
O Manifesto na minha opinião tem duas intenções claras: a primeira seria tirar os “cristãos do bem” das ruas. Criticando a legitimidade dos protestos, chamando a insatisfação de “ódio” e o grito das ruas de gritos de “crucifica-o” e apelos à violência, o documento da Missão Integral perde completamente o ponto de vista histórico do momento em que o Brasil vive. É um momento de unidade e não de violência. Os protestos não são gritos de ódio, mas afirmações sóbrias do povo brasileiro que finalmente acordou para seu papel político.
A segunda intenção oculta no tom moralizante do documento é a de exonerar o governo petista. Usando novamente uma linguagem tortuosa, chama a mídia de tendenciosa, diz que as gravações foram editadas e afirma diversas vezes a necessidade de se agir dentro da lei porque o governo foi eleito pelo povo.
Ou seja, o manifesto só faz repetir com pedantismo e um pseudo-raciocínio cristão a mesma ladainha petista repetida ad nauseum por Dilma, Lula e seus comparsas. “Porque fomos eleitos vale tudo.” O pessoal da Missão Integral perdeu uma boa chance de ficar calado, ou até, o que teria sido melhor, de se retratarem por sua conivência com o espoliamento do Brasil por este partido podre que se encontra no governo.
Que Deus tenha misericórdia destes profetas que só falam o que rei quer ouvir e põe em segundo plano o povo que busca justiça.