Living The Life Without Labels

Posts com tag “heavy metal

The Underground Rock Revival of 2017

O ano é 2017, e o rock and roll evoluiu para existir em um espaço único fora da arena da indústria da música usual. Embora as estruturas de rótulos tradicionais e as ondas de rádio tenham sido em grande parte esfregadas da influência do rock, o rock cristão está muito vivo e bem onde sempre operou melhor: fora do sistema, prosperando em sua antiga abordagem de contra-autoridade.

Embora os serviços de rótulos ainda são frequentemente empregados em algum nível para distribuição, muitas bandas de rock agora estão se inclinando diretamente sobre os fãs que compartilham sua paixão e missão para financiar e divulgar a notícia em novos lançamentos. O resultado é fusões criativas de crowdfunding, suporte de rótulo e abordagens de gerenciamento independente para obter a música para as massas. Aqui está um resumo de alguns dos lançamentos subterrâneos, alimentados a base, que vêm de veteranos e recém-chegados que estão usando novos métodos para manter o balanço das ondas.

1. As We Ascend: Farewell to Midnight

As We Ascend, formado pelos guitarristas Justin Forshaw e Jake Jones (anteriormente de We As Human) e o produtor e baterista Robert Venable, prova a incrível qualidade que pode ser alcançada pela paixão e ética de trabalho DIY. Farewell to Midnight caiu 17 de março, o resultado de uma campanha de financiamento dos fãs que permitiu aos apoiadores uma quantidade sem precedentes de insight e entrada para a criação do álbum em cada passo do caminho. As We Ascend agora também é apoiado por Daywind/Vital Records como eles distribuem seu projeto de estreia.

2. Random Hero: The Covering

Random Hero financiou The Covering, uma liberação que encapsula dois EPs em um álbum completo, através de uma bem-sucedida campanha Pledgemusic. O grupo independente de rock com base em Colorado lançou The Covering em 3 de março, precedido pelo single principal “Mirror Mirror”. O novo projeto é a mais recente entrada em um currículo marcado pela abordagem clássica de rock and roll, pois o impulso do Random Hero é alimentado pela conexão em primeiro lugar.

3. The Letter Black: Pain

The Letter Black construiu impulso e uma base de fãs através de um par de discos lançados com a Tooth & Nail. Eles se aventuraram no reino independente no final do ano passado para crowdfund um novo álbum, Pain (devido para lançamento em 29 de maio). O álbum foi totalmente financiado pelos fãs através do kickstarter e já foram desfrutando clipes de pré-visualização de músicas postadas no Facebook. Agora, um par de meses após o lançamento, a notícia arrebentou que o zumbido chamou a atenção do EMP Label Group do baixista do Megadeth, David Ellefson, levando a um novo acordo de rótulo.

4. Scarlet White: Lost in the Smoke

O grupo de rock independente Scarlet White, com sede em Michigan, construiu uma base de fãs forte em todo o meio-oeste com seus fortes shows ao vivo, dois álbuns de estúdio e alguma atividade de carta de rádio. Seu terceiro álbum de longa-metragem Lost in the Smoke é devido neste verão, e os fãs já tiveram um gosto dele através do single “One Less”, que foi lançado no Dia dos Namorados. A banda também passou o último mês trazendo suas músicas para novos públicos com o slot de abertura da turnê City Rockfest deste ano.

5. Righteous Vendetta: Cursed

Righteous Vendetta vazou Cursed em 17 de março, seu primeiro álbum em quase quatro anos. Eles tomaram esse tempo para criar o seu álbum mais apertado e focado ainda, um projeto que eles estão distribuindo em parceria com o hard rock/metal independente Century Media. A parceria é apropriada, como Cursed prova estar fundamentado em sensibilidades de metal mais do que qualquer outra liberação Righteous Vendetta até agora.

6. The Protest

The Protest construiu uma base de fãs ferozmente leais em todo Indiana e os estados vizinhos com seu show vivo energeticamente enérgico. Este ano a banda está no processo de financiamento de seu terceiro lançamento de estúdio através de uma campanha indiegogo. Convenções contemporâneas em favor de um glam metal-influenciado som que lembra de atos como Stryper e Whitecross, The Protest traz algo único para a atual cena do rock cristão.

7. Death Therapy: The Storm Before the Calm

Apesar de Death Therapy ser uma das poucas bandas nesta lista com o verdadeiro suporte de grandes gravadoras (elas estão assinadas com a música pesada de Tooth & Nail, Solid State), elas ainda eram um nome que muitos não ouviram ainda de uma base de fãs dedicada quando seu projeto de estreia pendente The Storm Before the Calm vazou em 24 de fevereiro. Death Therapy foi formado por Jason Wisdom, que os fãs podem reconhecer como a voz original de Becoming The Archetype. A banda já está se estabelecendo com um som único e experimental – e com datas de turnê abrindo para a perna da Costa Oeste da turnê RED’s End of Silence Anniversary.

8. Spoken

Spoken tem falado que cada banda de rock moderno precisa evoluir para sobreviver em uma paisagem em constante mudança. Deslocando seu pé de uma variedade de subtrações de rock e movendo-se entre suporte de rótulo e independência ao longo das duas décadas Matt Baird da tripulação tem vindo a fazer música, Spoken atualmente desembarcou em um modelo independente que resultou em uma campanha PledgeMusic para apoiar o seu 9º álbum de estúdio . O álbum, com letras e vocais assinados por Matt e música amplamente completada pelo ex-guitarrista Matthew “Scoop” Roberts logo antes de deixar a banda, concentra-se em “canções sobre graça, perdão, confusão, luta e amor incondicional”. O projeto vai sair ainda este ano.

9. Project 86

Project 86 é outro veterano que tomou a rota independente, com foco em fãs, duas décadas em sua carreira. Sua campanha de penhor tem sido executado desde o final do ano passado, construindo para um conjunto de dez novas músicas e cinco covers celebrando seu 20 º aniversário como uma banda. As músicas foram disponibilizadas aos pledgers uma de cada vez à medida que são concluídas, em vez de esperar por um álbum completo e tradicional. O método original é adequado para uma banda que tradicionalmente foi contra o grão com letras imaginativas, fortemente visuais e esmagador estilo musical.

10: Kids in the Way/KIDS: Side A

Kids in the Way formou seguidores para si em meados dos anos 2000 com sucessos como “Fiction”. 2017 viu seu retorno, rebatizado como KIDS, com  uma multidão que financiou seus EPs. O primeiro EP, Side A, veio em 31 de março, e o segundo é devido para logo mais ainda este ano. O novo material vê uma encarnação ligeiramente mais madura e madura da equipe de KIDS, pois eles oferecem a música mais nova que lançaram em 10 anos – ilustrando que os novos modelos de negócios tornam as reações possíveis.

*Editora associada Mary Nikkel’s, amor para a escrita, fotografia, videografia e rock and roll foram todos unidos pelo seu amor por Jesus, levando a seu papel com NRT. Suas coisas favoritas incluem teologia e estudos de língua grega, seu marido de estudante de graduação em matemática, lojas noturnas de café em Nashville , todas as coisas relacionadas ao trabalho de J.R.R. Tolkien e empurrando os limites estabelecidos pelas normas sociais. Ela escreve em Threads of Stars.

Traduzido de New Release Today.

Anúncios

Itens à venda no Mercado Livre para colecionadores – Revistas de Rock

Paz, amigos do Jesus, Vida & Rock’n’Roll! Esse post é de caráter de divulgação, pois estou me desapegando de parte do meu acervo. São algumas edições da Roadie Crew, Metal Head e Templo Metal. Para mais informações e adquirir os produtos, basta clicar nos links a seguir:vendas-roadie-ml

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 126 Chickenfoot

Revista Roadie Crew – Ano 10 Nº 109 Iron Maiden

Revista Roadie Crew – Ano 10 Nº 104 Saxon

Revista Roadie Crew – Ano 11 Nº 118 Motörhead

Revista Roadie Crew – Ano 11 Nº 113 Testament

Revista Roadie Crew – Ano 11 Nº 116 Rush

Revista Roadie Crew Ano 11 Nº 114 – Whitesnake

Revista Roadie Crew Ano 11 Nº 121 – Metallica

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 128 – Immortal

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 132 – Slayer

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 134 – Slash

Revista Roadie Crew – Ano 15 Nº 162 Kreator

Revista Roadie Crew – Ano 15 Nº 170 Metallica

Revista Roadie Crew – Ano 17 Nº 186 Ratos De Porão

Revista Roadie Crew – Ano 17 Nº 192 Angra

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 127 Steve Vai

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 129 Manowar

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 131 André Matos

Revista Roadie Crew – Ano 12 Nº 133 Dream Theater

Revista Roadie Crew – Ano 13 Nº 136 Especial Bay Area

Revista Roadie Crew – Ano 13 Nº 138 Korzus

Revista Roadie Crew – Ano 14 Nº 149 Sepultura

Revista Roadie Crew – Ano 14 Nº 152 Dream Theater

Revista Roadie Crew – Ano 15 Nº 164 Scorpions

Revista Roadie Crew – Ano 15 Nº 165 Testament

revista-metal-head-extra-2007-encadernado-rock-heavy-metal-773101-MLB20270174400_032015-O

Revista Metal Head Extra 2007 Encadernado Rock Heavy Metal

gm_23

Revista Templo Metal Nº 1 (formato Pocket – Rock Cristão)

Então, aproveitem e boas compras! God bless you all! \m/_


Heaven’s Banger anuncia sua próxima edição

heavensbanger3620x350

A nova edição da revista nacional Heaven’s Banger já está em produção. A terceira edição da publicação traz: Barren Cross, Thy Bleeding Skies, Emperador, Orationem, Perpetual Legacy, Azorrague, Corbã, Templo de Fogo, Mashiaj e Uncaved. O lançamento está previsto para o início de 2016 em versão impressa. Confira o comunicado do editor.

Viemos por esta informar que estamos perto de contemplar a existência da terceira edição da revista HEAVEN’S BANGER. Infelizmente a meta de manter a periodicidade (uma edição a cada dois meses) falhou. E pouco mais de cinco meses se passaram deste a edição anterior. O principal problema é mesmo a questão financeira. Ao mesmo tempo que o custo de impressão aumentou, dois patrocinadores pularam fora de última hora. Porém, o empenho para materializar o novo número será concluído. O prazo máximo para o lançamento será no início do próximo mês de Janeiro. Além de uma quantidade maior de páginas, temos a presença de Barren Cross, Thy Bleeding Skies, Emperador, Orationem, Perpetual Legacy, Azorrague, Corbã, Templo de Fogo, Mashiaj e Uncaved além de matérias, Hq’s e muitas informações. Tudo impresso com tecnologia CTP, o ápice da indústria gráfica. Aproveitamos para informar que as edições anteriores (#1 e #2) estão caminhando para suas últimas unidades.

Mais detalhes: http://www.metalsurvivor.net

Fonte: Templo Metal


O demônio pede passagem

Trecho da crônica de Gregório Vivanco Lopes, em Agência Boa Imprensa – (ABIM)

O ambiente criado pelo mundo moderno é propício à ação diabólica.

Casos individuais de entrega ao demônio, sempre os houve na história da humanidade pecadora. Mas provocavam horror. O que sobretudo preocupa nos nossos dias é uma certa aceitação social do fenômeno diabólico, uma falta de rejeição proporcionada à sua enorme gravidade.

Rolling Stones

unnamed

Anos atrás, o líder dos Rolling Stones, o veterano Mick Jagger, depois de dizer que não consegue viver sem suas tournées musicais, acrescentou: “Um dia terei que pagar meu tributo ao diabo, como Fausto. Mas, por que vou deixar de desfrutar do sol de hoje para pensar nas nuvens de amanhã?”, ao jornal “Clarin”, de Buenos Aires (14-3-08).

A comparação com Fausto chama a atenção. Fausto, personagem central de um romance de Goethe, é um intelectual desiludido com o mundo, que não consegue mais encontrar sentido para a vida e pensa em suicídio. A solução vem de um demônio que se propõe acompanhar Fausto em sua vida terrena, satisfazendo suas vontades, em troca de sua alma. Fausto aceita, selando com seu próprio sangue um contrato.

Ainda falando de si mesmo, o roqueiro acrescentou enigmaticamente: “A pessoa que sobe ao palco não é idêntica ao Mick Jagger real. Se eu aparecesse numa festa com minha personalidade do palco, me expulsariam aos pontapés”.

É só a ponta do iceberg

2

Até hoje repercute a entrevista dada em março de 2008 pelo Dr. Tiziano Masini, Procurador Substituto da República, em Varese (Itália), que esteve encarregado de representar a Procuradoria no processo Bestie di Satana (Animais de Satanás). Tratava-se de um grupo de satanistas jovens da província italiana de Varese, que esteve na origem de diversos assassinatos e suicídios rituais, com grande repercussão na Itália.

Explica o Dr. Masini: “O que se vê atualmente é apenas a ponta do iceberg. […] Eles se reuniam para celebrar missas negras e invocar as forças do inferno. […] Penso que seja fruto destes tempos em que estão em voga horóscopos, leituras esotéricas, magos e cartomantes. […] Creio que o fenômeno tem sido subestimado por alguns setores eclesiásticos. Acrescento que uma parte da Igreja […] permaneceu afastada do problema e despreparada”.

E prossegue: “Trata-se, sem sombra de dúvida, de um fenômeno preocupante e em expansão, muito mais do que parece. Uma das causas, tanto quanto eu pude constatar, é a desagregação da família. A maior parte dos jovens processados provinha de núcleos familiares problemáticos devido a separações e divórcios. […] Outra causa — sem falar da adoração do mal — são as más companhias. Os pais deveriam controlar mais e melhor as companhias dos filhos”.

Tendo atuado nas diversas fases do processo, o procurador Masini informa: “Todos os envolvidos –– insisto, todos –– mostravam inimizade e desprezo para com o cristianismo, e diziam falar a linguagem do anti-Cristo. […] Durante as audiências, falavam línguas estranhas, emitiam sons guturais indecifráveis e roucos, invocavam e nomeavam continuamente todos os demônios. Ademais, blasfemavam contra Cristo e a Religião católica e diziam sofrer diante de imagens e objetos sacros.”

Rock in Rio: Viagem às profundezas do inferno

3

Hoje em dia, grupos satânicos promovem abertamente missas negras, como a realizada no Centro Cívico de Oklahoma (EUA); teatros apresentam blasfêmias de todo tipo, como a peça Jesus Cristo Superstar; a ideologia de gênero nega abertamente a ordem estabelecida por Deus na Criação; o Rock in Rio de 2013 terminou com invocações satânicas; e assim por diante.

E, no recentíssimo Rock in Rio 2015, informa o site da UOL (26/9/2015): “Atração principal deste quinto dia de Rock in Rio 2015, a banda norte-americana Slipknot encerrou os shows desta sexta-feira (25) com uma viagem às profundezas do inferno “headbanger”. […] ‘Vocês não fazem ideia da honra e privilégio de estarmos aqui’, disse o vocalista Corey Taylor, com seu macacão negro. Encapetado por luzes, percussões e imagens do capeta, representado por um boneco no palco e imagens projetadas no telão, o show foi acompanhado com energia exemplar. Pulos, saltos, palmas, berros. O inferno de Dante Alighieri pintado em versão metaleira”.

Um filme há pouco lançado sobre exorcismos, explora de modo sensacionalista a ação diabólica. Além de jogos feitos através da Internet que pedem a vinda do demônio. Exorcistas sérios advertem. Tudo isso parece uma preparação. O demônio pede passagem. Quer se instalar.


Stauros: gravado primeiro DVD oficial. Pré-venda já começou.

staurosdvd620x350px

Na última sexta-feira, o Stauros gravou o seu primeiro DVD em comemoração aos 20 anos de carreira da banda com diversos nomes, destaque para JT (Metal Nobre) em participação especial. A banda se preparou por meses até a gravação final na cidade de Itajaí-SC. O material audio visual será lançado também em Blue-ray, talvez o primeiro lançamento em Blue-ray do metal cristão nacional. Ainda sem data para distribuição, a banda já disponibiliza a pré-venda na sua loja oficial.

Stauros é:
Celso de Freyn – Vocal
Renatinho – Guitarra
Alessandro Lucindo – Guitarra
Ozeias Rodrigues – Baixo
Lucas Fontana – Bateria

Fonte: Templo Metal. Via: Holy Metal 777


White Metal: novo filme está sendo produzido

1435586107

Por Queila Porto Fróes, Fonte: vimeo, Tradução

Estamos em 1987. As bandas de Hair Metal estão com tudo no Rock n ‘Roll Mundial. Uma das muitas bandas que disputam um lugar na história do rock é Tyger. Mas Tyger é um pouco diferente. Eles são cristãos, tentando viver o estilo de vida Rock n ‘Roll, até que, um dia, Deus coloca-lo em seus corações, a ideia de fazer músicas para Ele.

Depois de muito debate, Tyger muda seu nome para Iron Cross e usa a sua música para difundir o Evangelho. Isso não dá certo em Sunset Strip e a banda é ridicularizada por sua mensagem, mas elogiada por seu som Heavy Metal. Apesar das probabilidades, Iron Cross finalmente consegue um contrato de gravação e grava seu primeiro álbum. Sua gravadora envia-os em uma turnê.

As coisas nunca são exatamente como parecem. O povo cristão que o Iron Cross está tentando atrair rejeita a sua mensagem, por causa de seu estilo de música, e o público secular, que nunca realmente se importava com a mensagem está abraçando Iron Cross como qualquer outra banda de metal do dia.

Dizem que o que acontece na estrada fica na estrada. Mas, no caso do Iron Cross, o que acontece na estrada irá consolidar seu lugar na história do Rock n ‘Roll.

Participam do filme, John Schlitt (sim, o vocalista do Petra) e os caras da banda Chaotic Resemblance uma banda de glam metal cristão formada em 2006, Oz Fox de Stryper produziu o último álbum desses caras em 2014. A banda de verdade se torna uma banda fictícia. Também no elenco do filme está o Pastor Bob Beeman, que em 1984, viu que as igrejas não foram muito receptivas ao Metal Cristão, e começou o ministério chamado Sanctuary – O Refúgio Rock and Roll. Essa comunhão trouxe muitos músicos e grupos como Tourniquet, Deliverance, Vengeance e Mortal que logo se tornaria inovadores na formação da cultura da música cristã. O primeiro líder de adoração do santuário era vocalista do Stryper, Michael Sweet e mais tarde Jim LaVerde, baixista do Barren Cross.

Além disso, o baterista do Stryper, Robert Sweet, também foi escalado para um papel em God Gave Rock n ´Roll to You. A trilha sonora do filme é a versão do Bride da canção ¨God Gave Rock and Roll to You¨.


Vivian Campbell: “Não temo a nenhum deus, homem ou câncer”

1435585789

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho

O DEF LEPPARD, pelo visto, vai contar com 3 guitarristas durante essa turnê. Além de PHIL COLLEN, o substituto de VIVIAN CAMPBELL [que combate um câncer] STEVE BROWN deverá acompanhar a banda em ‘stand by’ durante toda a tour pelo verão dos EUA.

Brown, que já pela segunda vez ajuda a banda preenchendo a vaga de Campbell pelo mesmo motivo, tocou com a banda no começo da tour, mas Campbell, no começo do domingo passado, postou ao Facebook da banda:

“Apesar de meus esforços [incluindo aí tentar alugar um jatinho], os deuses conspiraram para me impedir de tocar em Birmingham noite passada. Mas eu sou irlandês e teimoso. Eu não temo a nenhum homem, deus ou câncer. Mesmo que eu tenha que ir andando, eu VOU ver vocês em Atlanta. ”

E ele de fato, tocou.

O post foi ilustrado com uma foto do igualmente notório fotógrafo inglês ROSS HALFIN.

E então, cristãos, vamos xingá-lo e esperar que Deus o castigue pela blasfêmia (?), ou vamos interceder por ele para que Deus tenha misericórdia e lhe conceda a oportunidade de arrependimento? Será que ele zombou de Deus, ou ao falar “deus” ele se referiu a quaisquer divindades?