Living The Life Without Labels

Posts com tag “evento

Mais de 50 artistas unem forças para homenagear Michael W. Smith na Bridgestone Arena

Nashville, Tenn.35 Years Of Friends: Celebrating The Music Of Michael W. Smith foi embalado com mais de 3 horas de performances de cantores incluindo: Amy Grant, Wynonna, Randy Travis com Steven Curtis Chapman, Jordin Sparks com Jordan Smith, Rascal Flatts, The Backstreet Boys Brian Littrell, Charlie Daniels, os irmãos Gatlin, Vince Gill com Wayne Kirkpatrick, Matthew West, Avalon, The Oak Ridge Boys, CeCe Winans, Francesca Battistelli, Sandi Patty com Natalie Grant, Ricky Skaggs com os Isaacs, Jason Crabb, Lee Greenwood, Mark Lowry, Jim Brickman, T. Graham Brown e muito mais.

Antes do show começar, Smith falou de como ele tinha sido mantido no escuro sobre a maior parte do evento, então ele estava ansioso para as surpresas durante toda a noite, vendo suas músicas executadas e a interpretação que os artistas iriam assumir. Ele afirmou que “a beleza da noite é como ela trouxe tantos de nós juntos”.

Kathie Lee Gifford deu o pontapé inicial na noite trazendo Smith e sua esposa Deborah para cumprimentar a multidão antes de tomarem seus lugares no palco. Smith não ficou sentado enquanto ele se juntou a vários artistas durante a noite em suas músicas icônicas e até mesmo cantou algumas delas.

Destaques durante a noite incluíram:

* Randy Travis saiu no palco com sua esposa Mary Travis enquanto sua versão de “Above All” de Smith tocava. Um Smith emocionado ficou como Travis fez o seu caminho para ele antes de abraçá-lo;
* Depois de cantar “How Great Thou Art”, Charlie Daniels trouxe seu violino para “Devil Went Down to Georgia”, enquanto Smith o acompanhava no piano;
* Mensagens gravadas dos queridos amigos de Smith: o ex-presidente George W. Bush, Bono do U@ e Franklin Graham;
* O vencedor do American Idol, Jordin Sparks, juntou-se ao vencedor do The Voice, Jordan Smith, apresentando “All is Well”;
* Rascal Flatts colocando seu giro em “Pray for Me”;
* Wynonna visivelmente comovido, juntando-se a Michael Tait, Matt Maher, Avalon e CeCe Winans em “Help Is on the Way” e depois Smith pulando para o piano para se juntar a ela para uma interpretação de sua “Majesty”;
* A amiga de longa data de Smith e sua companheira de turnê, Amy Grant, convidando-o para acompanhá-la no piano durante o “Love Will Find a Way”.

O show fechou com todos os artistas voltando ao palco para participar do clássico “Friends” de Smith.

Depois de tocar piano, Smith abraçou o final da noite triunfante movendo-se para a frente do palco para fazer uma reverência quando sua família se juntou a ele.

Promovido por Outback Concerts e produzido por Tony Conway do Conway Entertainment Group, os amantes da música experimentaram mais de 50 artistas de todos os gêneros, realizando um set list que incluía muitos dos singles de sucesso # 1 de Smith. Com mais de 45 prêmios Dove, três prêmios Grammy e um prêmio de música americana, Michael W. Smith sempre consagrou sua marca nos livros de história da música. Smith recebeu mais uma indicação ao Grammy em 2018 pelo ‘Melhor Álbum de Música Cristã Contemporânea’ por seu esforço de adoração, Surrounded. AWAKEN: The Surrounded Experience é o último lançamento de Smith (22 de fevereiro de 2019).

“35 Years Of Friends: Celebrating The Music Of Michael W. Smith” full setlist:
Phil Keaggy, Mac Powell, Phillips, Craig & Dean, Point of Grace – “Agnus Dei”
Jason Crabb – “Love Crusade”
Ricky Skaggs with The Isaacs – “I’d Rather Have Jesus”
Zach Williams – “I’ll Stand”
David Hamilton – Instrumental
David Hamilton, Jordin Sparks, Jordan Smith – “All is Well”
Matthew West – “Go West”
Charlie Daniels – “How Great Thou Art”
Charlie Daniels with Michael W. Smith – “The Devil Went Down to Georgia”
Jars of Clay – “I’ll Lead You Home”
Rascal Flatts – “Pray for Me”
Avalon with Jay DeMarcus – “I Will Be Here”
Mark Lowry – “Face in This World”
Gatlin Brothers with Phillips, Craig & Dean – “Shine On Us”
Sandi Patty and Natalie Grant – “How Majestic”
Jim Brickman – “Love of My Life”
Michael W. Smith with original band – “Could He Be Messiah,” “Be Strong,” “You Need a Savior”
Randy Travis and Steven Curtis Chapman – “Above All”
Lee Greenwood with Wes King and sons – “There She Stands”
Brian Littrell – “Place in This World”
Michael W. Smith – “Secret Ambition”
Oak Ridge Boys – “Draw Me Close”
Nicole C. Mullen, Danny Gokey, Katinas, Matthew Ward, Calvin Nowell – “Crown Him with Many Crowns, ” “Easter Song”
CeCe Winans with Point of Grace – “King of Glory”
Matt Maher – “This is Your Time”
Laura Story with Francesca Battistelli – “How to Say Goodbye”
Russ Taff – “Healing Rain”
Wayne Kirkpatrick with Vince Gill – “Never Been Unloved”
Mark Hall – “I’m Waiting on You”
Tait, Matt Maher, Avalon, Wynonna, CeCe Winans – “Help Is on the Way”
Wynonna – “Majesty”
Amy Grant with Michael W. Smith – “Love Will Find a Way,” “Thy Word”
All sing including T. Graham Brown – “Friends”

Sobre Michael W. Smith:
Michael W. Smith tem lançado novas músicas regularmente e atuando em todo o mundo para multidões nos últimos 35 anos. Durante sua carreira, ele escreveu mais de 35 canções # 1, foi agraciado com três GRAMMY® Awards e 45 Dove Awards, um American Music Award, foi introduzido no Gospel Music Hall of Fame e já vendeu mais de 15 milhões de álbuns. Seu mais recente USA Today, Yahoo! Música e álbum de estúdio aclamado pela Billboard A Million Lights and Parade, o álbum de culto ao vivo indicado ao Good Morning America e ao GRAMMY Surrounded juntos se tornaram seus 30 e 31 Top 10 hits na lista Top Christian Albums da Billboard, mais do que qualquer outro artista solo na história . Ele também é envolvido à comunidade global. Smith levantou fundos para combater a AIDS na África; inaugurou o Rocketown, um refúgio seguro para jovens no Tennessee para se encontrarem e encontrarem esperança; e ajudou mais de 70.000 crianças através da Compassion International. Ele também escreveu vários livros best-sellers, incluindo Old Enough To Know e Friends Are Friends Forever. Para mais informações visite www.michaelwsmith.com.

Sobre o Outback Concerts:
O Outback Concerts é um promotor independente de shows e comédias de serviço completo com sede em Nashville, TN. Além de produzir centenas de shows e eventos todos os anos, desde clubes a arenas em todo o país e no Canadá, a Outback Concerts também produz o Nashville Comedy Festival.  O presidente
do Concerts Outback Mike Smardak foi um introduzido em  2011 no IEBA Hall of Fame. Em novembro de 2016, Mike Smardak foi agraciado com um distinto Prêmio NATD ao lado dos membros mais reconhecidos de Nashville da indústria do entretenimento. Em março de 2018, Smardak foi homenageado pela T.J. T.J. Martell Foundation com o Tony Martell Outstanding Entertainment Achievement Award. O promotor Andrew Farwell foi eleito o novato do ano do IEBA em 2014.

Sobre o Conway Entertainment Group:
O Conway Entertainment Group é uma agência de talentos de serviço completo que inclui eventos ao vivo, reservas e gerenciamento de talentos. A CEG é construída firmemente sobre a base dos quarenta anos de experiência de Tony Conway na indústria, subindo do posto de agente para CEO da Buddy Lee Attractions, Inc., uma das maiores agências do mundo. Em 2009, Conway vendeu sua participação na BLA e abriu o Conway Entertainment Group com o desejo de usar sua experiência de anos representando e negociando algumas das maiores turnês, patrocínios, acordos de licenciamento e projetos literários, de filmes e de TV que surgiram da Music City.

 

Wynonna, Lauren Alaina

Michael W. Smith & amigos entregam doações para Nashville Predators Foundation
(Pictured L-R: Sean Henry, CEO, Nashville Predators; Chaz Corzine, Partner, MWS Group, Manager of Michael W. Smith; Andrew Farwell, Director of Live Entertainment, Outback Presents; Michael W. Smith; Rebecca King, Senior Director of Community Relations, Nashville Predators; not pictured: Michael Smardak)

Para mais informações sobre Michael W. Smith acesse JFH Artists Database.

Traduzido de Jesus Freaks Hideout


Intolerância religiosa: Skin Culture sofre censura e boicote de fãs de Black Metal

A banda Skin Culture publicou em seu Facebook oficial:

“O Skin Culture não vai mais tocar nos shows com o Ektomorf dia 07 e dia 09 de fevereiro.
Algo que nunca imaginamos que pudesse rolar, rolou: um grupo pequeno de muleques fãs de black metal enviaram mensagens para a produtora No Class Agency, realizadora dos shows, alegando que o Skin Culture é “White Metal” e pedindo um boicote da banda no show de São José dos Campos. Essa atitude por si só já é ridícula vinda de alguns pseudos-fãs de metal, que ao que parece, não iriam comparecer ao show de qualquer forma, já que não são nem da região do Vale do Paraíba. A coisa piora quando a produtora, que tem alguns membros pertencentes ao Lacerated and Carbonized “abraça” o boicote alegando que poderia ter problemas com os fãs da banda e “queimar” a banda por tocar com a gente.
O Skin Culture tem muito orgulho de já ter feito muitos shows com algumas das maiores bandas de metal do planeta e de ter tido a participação de membros de algumas das maiores bandas do Brasil em nossos álbums. Nosso relacionamento com a cena metal não só no Brasil, mas internacionalmente, sempre foi muito positivo e muito além de qualquer tipo de rótulo.
O nosso vocalista, Shucky Miranda é cristão e por muitas vezes usa referências e leva influência de sua fé para as composições da banda, assim como, por exemplo, Max Cavalera já fez muitas vezes no Soulfly e o próprio Ektomorf faz. Porém hoje, os outros integrantes da banda não possuem esse lado espiritual e a banda segue uma proposta em que todos tem influência nas composições, o que seria impossível rotular o Skin Culture como White Metal se apenas 25% da banda segue a fé cristã. Não fazemos parte do circuito de bandas que tocam em igrejas e não temos qualquer envolvimento com a cena White Metal, somos uma banda de Metal/ Hardcore e apenas isso!
Acima de tudo, o Skin Culture prega a paz, o amor, força para vencer os desafios da vida e o fim de todo tipo de intolerância, seja ela por cor, etnia, orientação sexual ou orientação religiosa.

A situação não poderia ficar mais ridícula, porque além de ser uma banda que faz os corres como banda, também sempre colaboramos com a cena e nesses shows, também fizemos todo os corres para que a tour com o Ektomorf passasse por São Paulo. Ativamos nossos contatos de casa de show em São Paulo para passar para a produtora algumas opções e inclusive, a data de São José dos Campos na Hocus Pocus, é uma data nossa, em que fomos lá pessoalmente e agendamos. Os cartazes do show também fomos nós que produzimos.

A produtora aderiu a um boicote de meia dúzia de muleques mimados que não conhecem a banda, não conhecem nem sequer o Ektomorf (composições como Only God, Faith and Strength e Tears of Christ colocariam em cheque um boicote também?), ignorando nosso corre e discriminando nosso vocalista. O que sentimos é uma indignação em saber que o lado que deveria mais ser profissional dentro da cena, toma uma ação medíocre e amadora como essa.
Em respeito aos fãs de metal que querem prestigiar o Ektomorf em São José dos Campos, vamos ceder a data para a produtora e em breve, anunciaremos um fest na cidade em que o Skin Culture irá tocar.

Fica aqui o nosso repúdio a esse tipo de situação e a qualquer atitude que prejudique o já tão sofrido cenário Metal no Brasil, onde todos que sobem num palco para fazer música com sinceridade, merecem respeito.

Muito obrigado a todos que apoiam a banda e que estavam empolgados com os nossos shows no Rio de Janeiro e em São José dos Campos. Em breve nos vemos!”


Cruzeiro de verão com dC Talk e amigos

Você já reservou suas férias de verão mais épicas do ano, a JESUS FREAK CRUISE? Junte-se aos Newsboys, TobyMac, Kevin Max, John Crist, Mandisa, Ryan Stevenson e Aaron Cole para balançar o barco todo o caminho para as Bahamas!

Se você tem tempo e dinheiro, poderá fazer sua reserva para o JESUS FREAK CRUISE 🚢 até 31 de dezembro e seu depósito é de apenas U$ 50 por pessoa. Mas, você pode obter mais informações e vantagens através do link https://www.jesusfreakcruise.com/

Segue o trailer promocional oficial para te deixar com “água na boca”:

Por: Amauri Menezes, Metal Missionary

Com informações de News Release Today

 


dC Talk assiste ao show do U2 com OneRepublic

Enquanto eles estão se preparando para o Jesus Freak Cruise no próximo mês, TobyMac, Michael Tait e Kevin Max separaram um tempo para participar do Joshua Tree Tour do U2 em Tampa, FL. O lendário trio também passou parte da noite saindo com os membros do OneRepublic.

O Joshua Tree Tour comemora o aniversário de 30 anos do lançamento do álbum definidor da carreira do U2 “The Joshua Tree”, um projeto que influenciou profundamente inúmeros músicos contemporâneos – incluindo os então jovens membros do dC Talk. O cantor principal do grupo pop OneRepublic, Ryan Tepper Tedder, foi influenciado pelo álbum, mas suas influências também incluíram o dC Talk. Ryan Tedder cresceu na música cristã nos anos 90, quando o dC Talk estava no auge.

Todos os artistas compartilhavam instagrams e snapshots durante toda a noite, incluindo a captura da impressão de Ryan Strader sobre Kevin Max, cantando “What If I Stumble”.

No instagram de Michael Tait, o atual líder da Newsboys compartilhou: “Pendurado nos bastidores em Tampa com o @rynerderer depois do seu slot de abertura com @U2 ….. nós temos tanta história juntos e ele cresceu como o principal fã do dC Talk!!!”.

A noite emocionante para dc Talk vem menos de um mês antes do Jesus Freak Cruise navegar. A reunião oficial tão aguardada da banda terá lugar de 11 a 15 de julho. Outros artistas que aparecem no cruzeiro incluem Finding Favor, Capital Kings, Ryan Stevenson e Hollyn. Você pode descobrir mais em jesusfreakcruise.com.

Traduzido de NewsReleaseToday


Musical de Natal da Hillsong de Londres é criticado e comparado a balada erótica

hillsong-london-natal-e1450960593284

A filial de Londres da Hillsong Church promoveu um musical de natal no estilo dos shows de casas noturnas das primeiras décadas do século passado, imitando inclusive, as cantoras que também dançavam acompanhadas por bailarinas em trajes menores.

A iniciativa foi considerada infeliz por alguns blogueiros cristãos ao redor do mundo, que classificaram o musical como “baile erótico de Natal”.

No vídeo que vem circulando nas redes sociais, os cantores interpretam a música natalina “Silent Night”, que em português ganhou uma versão chamada “Noite Feliz”, que fala sobre a chegada do Salvador.

A Hillsong London é conhecida pelo estilo musical próprio, e mais ousado, em comparação com as outras filiais da denominação ao redor do mundo. Assista ao vídeo:

Sensual?

Para o blogueiro Mario Fumero, sim. “É triste dizer, mas se você assistir este vídeo, por favor retire seus filhos, pois o espetáculo erótico não é apropriado para menores de idade. Quem imaginaria que chegaria o dia em que as igrejas fariam coisas tão sensuais ao extremo que não podemos levar os nossos filhos a uma igreja como essa, para que não sejam contaminados com uma atmosfera de desenfreio sexual, carnal e cheio de apostasia?”, comentou, no site Unidos contra la Apostasía.

Caleb Corneloup, que mantém um canal no YouTube, criticou a igreja por desconsiderar as recomendações bíblicas sobre a vestimenta das mulheres e disparou: “As Escrituras são claras quanto a modéstia das roupas das mulheres (1 Timóteo 2:9)… a maioria das mulheres da Hillsong Church, vestem-se nos dias de hoje como as prostitutas vestiam nos dias da Bíblia. Elas acumulam maquiagem, vestem roupas eróticas e se decoram da mesma maneira das prostituas dos tempos bíblicos. Espero que a Hillsong se arrependa de seu pecado e toda a sua falsa doutrina e pratica pecaminosa”.

Fonte: Gospel+


Andy Timmons em Fortaleza: quarta é dia de ir pra igreja

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: Guitar Meeting

Fortaleza tem sido invadida por atrações internacionais. Depois de uma semana com NIGHTWISH e GRIM REAPER, a semana que começa traz mais dois grandes nomes da música para as terras alencarinas.

Na quarta-feira é dia do workshop de ANDY TIMMONS, no Auditório da Igreja Videira, no Centro, e na sexta, os alemães do BLIND GUARDIAN tocam no Siará Hall.

O renomado guitarrista Andy Timmons (ex-DANGER DANGER) vem a Fortaleza a convite do Guitar Meeting para apresentar toda sua técnica e conversar com guitarristas e apreciadores de boa música da cidade. O workshop acontece às 19h de quarta no Auditório da Igreja Videira, sede Centro, na Av. Dom Manoel, 929. A igreja conta com estacionamento próprio e você confere os pontos de venda na seção serviço, logo abaixo.

Além de Andy Timmons, quem também se apresenta no evento é o grande guitarrista Sydnei Carvalho. Sydnei Carvalho é mais um respeitado virtuoso brasileiro que participa do super projeto 4ACTION, ao lado de Felipe Andreoli (baixista do ANGRA), Roger Franco e Alexandre Aposan. Sydnei também tem CDs e DVDs gravados com Alex Martinho. Um deles, “Intuition”, tem a participação do próprio Andy Timmons em duas faixas.

Confira uma resenha de um workshop de ANDY TIMMONS, em São Paulo, no site abaixo:

Andy Timmons: amor à música na ponta dos dedos

1443475559

Serviço:

Data: 30 de Setembro
Hora: 19h
Local: Auditório da Igreja Videira Sede Centro – Av. Dom Manoel, 929
(estacionamento próprio)

Pontos de vendas:
Escola Essencial Música – Av Pontes Vieira, 1960
Case Music – Rua, Pedro Pereira, 905 Sala 104
Casa dos Relojoeiros (Shopping Avenida) Av. Dom Luis, 300
Ppposters – Shopping Rio Mar
Valores :
Plateia: R$ 35,00 meia e R$70,00 inteira – 1º Lote
Front Stage: R$ 80,00 preço único.. ( quantidade limitada) – 1º Lote
Informações: 3099.6729


Em meio a emoções artificiais, Baby do Brasil e família comovem o Rock in Rio

Baby e Pepeu RIR2015

Por ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER

Folha de São Paulo

Para comemorar sua guinada balzaquiana, o Rock in Rio achou que dava para fazer história a fórceps.

Reuniu popstars nacionais para cantar hits surrados e até pôs à venda 500 azulejos de acrílico preenchidos com lama removida (recentemente) do terreno onde aconteceu a primeira Cidade do Rock, em 1985. R$ 185 cada um.

O reencontro entre o ex-casal Baby do Brasil e Pepeu Gomes, que desde a separação, em 1988, não tocavam juntos, mostrou que emoção não é algo que se fabrica com uma boa equipe de marketing.

Claro que a ideia de escalar os velhos Novos Baianos, em show mediado pelo filho guitarrista Pedro Baby, 36, era uma estratégia publicitária esperta. O saldo, contudo, revelou que não dá para criar emoção artificial —quando ela é de verdade, acredite, você saberá.

E todos na plateia souberam. Num dos momentos mais bonitos do Rock in Rio 2015, pais e filho descobriram em tempo real, após uns poucos ensaios de agosto para cá, que o trio funcionava. “É um momento único na história da música. Tem que viver cem anos para viver uma coisa parecida”, disse Baby, 63, enquanto rodopiava seu tutu de bailarina, roxo como seus cabelos.

A apresentação foi um desdobramento de “Baby Sucessos”, turnê da baiana produzida pelo filho desde 2012. Só que, desta vez, o convidado especial era o homem com quem trocou fralda de seis filhos (Sarah Sheeva, Zabelê, Nana Shara, Pedro Baby, Krishna Baby e Kriptus Rá).

Eles entraram no Palco Sunset às 16h35 e, antes das 17h, todos já tinham ido às lágrimas. Num dado momento, enquanto o vento jogava suas madeixas para trás, Baby estirava os dois braços para cada extremidade do palco, onde Pepeu, 63, e Pedro “duelavam” em solos de guitarra.

O vencedor, no fim, foi o público bem heterogêneo, formado por senhores namorados, adolescentes em prantos e até uma vovó recriminada pelo neto ao tentar acender um baseado de maconha.

Pedro já tinha avisado que não cabia tanta história em apenas uma hora de show. Foi o suficiente para desfilarem clássicos deles em carreira solo ou na fase Novos Baianos, como “Masculino e Feminino”, “Todo Dia Era Dia de Índio” e “A Menina Dança”. Músicas acompanhadas em coro pela plateia e que são uma aula de como fazer refrão —e boa parte da “geração Sesc” contemporânea poderia passar por esse intensivo.

Em “Menino do Rio” (composta para Baby por Caetano Veloso), ela trocou o verso “dragão tatuado no braço” por “Jesus ‘forever’ tatuado no braço”, numa de suas várias amostras de proselitismo religioso.

Baby é do Brasil e, desde os anos 1990, também de Deus. Em 1985, quando ela e Pepeu tocaram no primeiro Rock in Rio, sua busca pela espiritualidade desembocou em louvação a Thomaz Green Morton, o guru do “rá” —grito energizante que também fez a cabeça de Gal Costa e Tom Jobim.

Agora, ela esclarece no palco, é “popstora” evangélica do “reino que não pode ser abalado”. Aproveita até para fazer propaganda de uma conferência gospel que programa para o final do ano: “Não Vai Ter Bunda Mole no Céu”.

Nem no céu nem na bem mundana Cidade do Rock, que minutos antes do show familiar começar era preenchida pelo hino gay “I Will Survive”, tocado num palco ao lado.

A milhas de distância de líderes como Silas Malafaia e Marco Feliciano, a sobrevivente Baby preserva o espírito livre da menina que, em 1985, cantou no festival de minissaia e top, grávida de oito meses do filho Kriptus Rá.

Questiona na letra: “Se Deus é menina e menino, sou masculino e feminino”. A menina, definitivamente, ainda dança.

Fonte: Folha de São Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2015/09/1684181-em-meio-a-emocoes-artificiais-baby-do-brasil-e-familia-comovem-o-rock-in-rio.shtml?cmpid=newsfolha)