Living The Life Without Labels

Posts com tag “cristão

The Underground Rock Revival of 2017

O ano é 2017, e o rock and roll evoluiu para existir em um espaço único fora da arena da indústria da música usual. Embora as estruturas de rótulos tradicionais e as ondas de rádio tenham sido em grande parte esfregadas da influência do rock, o rock cristão está muito vivo e bem onde sempre operou melhor: fora do sistema, prosperando em sua antiga abordagem de contra-autoridade.

Embora os serviços de rótulos ainda são frequentemente empregados em algum nível para distribuição, muitas bandas de rock agora estão se inclinando diretamente sobre os fãs que compartilham sua paixão e missão para financiar e divulgar a notícia em novos lançamentos. O resultado é fusões criativas de crowdfunding, suporte de rótulo e abordagens de gerenciamento independente para obter a música para as massas. Aqui está um resumo de alguns dos lançamentos subterrâneos, alimentados a base, que vêm de veteranos e recém-chegados que estão usando novos métodos para manter o balanço das ondas.

1. As We Ascend: Farewell to Midnight

As We Ascend, formado pelos guitarristas Justin Forshaw e Jake Jones (anteriormente de We As Human) e o produtor e baterista Robert Venable, prova a incrível qualidade que pode ser alcançada pela paixão e ética de trabalho DIY. Farewell to Midnight caiu 17 de março, o resultado de uma campanha de financiamento dos fãs que permitiu aos apoiadores uma quantidade sem precedentes de insight e entrada para a criação do álbum em cada passo do caminho. As We Ascend agora também é apoiado por Daywind/Vital Records como eles distribuem seu projeto de estreia.

2. Random Hero: The Covering

Random Hero financiou The Covering, uma liberação que encapsula dois EPs em um álbum completo, através de uma bem-sucedida campanha Pledgemusic. O grupo independente de rock com base em Colorado lançou The Covering em 3 de março, precedido pelo single principal “Mirror Mirror”. O novo projeto é a mais recente entrada em um currículo marcado pela abordagem clássica de rock and roll, pois o impulso do Random Hero é alimentado pela conexão em primeiro lugar.

3. The Letter Black: Pain

The Letter Black construiu impulso e uma base de fãs através de um par de discos lançados com a Tooth & Nail. Eles se aventuraram no reino independente no final do ano passado para crowdfund um novo álbum, Pain (devido para lançamento em 29 de maio). O álbum foi totalmente financiado pelos fãs através do kickstarter e já foram desfrutando clipes de pré-visualização de músicas postadas no Facebook. Agora, um par de meses após o lançamento, a notícia arrebentou que o zumbido chamou a atenção do EMP Label Group do baixista do Megadeth, David Ellefson, levando a um novo acordo de rótulo.

4. Scarlet White: Lost in the Smoke

O grupo de rock independente Scarlet White, com sede em Michigan, construiu uma base de fãs forte em todo o meio-oeste com seus fortes shows ao vivo, dois álbuns de estúdio e alguma atividade de carta de rádio. Seu terceiro álbum de longa-metragem Lost in the Smoke é devido neste verão, e os fãs já tiveram um gosto dele através do single “One Less”, que foi lançado no Dia dos Namorados. A banda também passou o último mês trazendo suas músicas para novos públicos com o slot de abertura da turnê City Rockfest deste ano.

5. Righteous Vendetta: Cursed

Righteous Vendetta vazou Cursed em 17 de março, seu primeiro álbum em quase quatro anos. Eles tomaram esse tempo para criar o seu álbum mais apertado e focado ainda, um projeto que eles estão distribuindo em parceria com o hard rock/metal independente Century Media. A parceria é apropriada, como Cursed prova estar fundamentado em sensibilidades de metal mais do que qualquer outra liberação Righteous Vendetta até agora.

6. The Protest

The Protest construiu uma base de fãs ferozmente leais em todo Indiana e os estados vizinhos com seu show vivo energeticamente enérgico. Este ano a banda está no processo de financiamento de seu terceiro lançamento de estúdio através de uma campanha indiegogo. Convenções contemporâneas em favor de um glam metal-influenciado som que lembra de atos como Stryper e Whitecross, The Protest traz algo único para a atual cena do rock cristão.

7. Death Therapy: The Storm Before the Calm

Apesar de Death Therapy ser uma das poucas bandas nesta lista com o verdadeiro suporte de grandes gravadoras (elas estão assinadas com a música pesada de Tooth & Nail, Solid State), elas ainda eram um nome que muitos não ouviram ainda de uma base de fãs dedicada quando seu projeto de estreia pendente The Storm Before the Calm vazou em 24 de fevereiro. Death Therapy foi formado por Jason Wisdom, que os fãs podem reconhecer como a voz original de Becoming The Archetype. A banda já está se estabelecendo com um som único e experimental – e com datas de turnê abrindo para a perna da Costa Oeste da turnê RED’s End of Silence Anniversary.

8. Spoken

Spoken tem falado que cada banda de rock moderno precisa evoluir para sobreviver em uma paisagem em constante mudança. Deslocando seu pé de uma variedade de subtrações de rock e movendo-se entre suporte de rótulo e independência ao longo das duas décadas Matt Baird da tripulação tem vindo a fazer música, Spoken atualmente desembarcou em um modelo independente que resultou em uma campanha PledgeMusic para apoiar o seu 9º álbum de estúdio . O álbum, com letras e vocais assinados por Matt e música amplamente completada pelo ex-guitarrista Matthew “Scoop” Roberts logo antes de deixar a banda, concentra-se em “canções sobre graça, perdão, confusão, luta e amor incondicional”. O projeto vai sair ainda este ano.

9. Project 86

Project 86 é outro veterano que tomou a rota independente, com foco em fãs, duas décadas em sua carreira. Sua campanha de penhor tem sido executado desde o final do ano passado, construindo para um conjunto de dez novas músicas e cinco covers celebrando seu 20 º aniversário como uma banda. As músicas foram disponibilizadas aos pledgers uma de cada vez à medida que são concluídas, em vez de esperar por um álbum completo e tradicional. O método original é adequado para uma banda que tradicionalmente foi contra o grão com letras imaginativas, fortemente visuais e esmagador estilo musical.

10: Kids in the Way/KIDS: Side A

Kids in the Way formou seguidores para si em meados dos anos 2000 com sucessos como “Fiction”. 2017 viu seu retorno, rebatizado como KIDS, com  uma multidão que financiou seus EPs. O primeiro EP, Side A, veio em 31 de março, e o segundo é devido para logo mais ainda este ano. O novo material vê uma encarnação ligeiramente mais madura e madura da equipe de KIDS, pois eles oferecem a música mais nova que lançaram em 10 anos – ilustrando que os novos modelos de negócios tornam as reações possíveis.

*Editora associada Mary Nikkel’s, amor para a escrita, fotografia, videografia e rock and roll foram todos unidos pelo seu amor por Jesus, levando a seu papel com NRT. Suas coisas favoritas incluem teologia e estudos de língua grega, seu marido de estudante de graduação em matemática, lojas noturnas de café em Nashville , todas as coisas relacionadas ao trabalho de J.R.R. Tolkien e empurrando os limites estabelecidos pelas normas sociais. Ela escreve em Threads of Stars.

Traduzido de New Release Today.

Anúncios

O guitarrista de Korn diz que os ataques da comunidade cristã são “realmente desanimadores”

O guitarrista Brian “Head” Welch de Korn foi entrevistado recentemente no programa de entrevistas “Real Talk” de Justin Miller ((a.k.a. Pastor J), pastor principal da Real Life Christian Church. Você pode assistir as imagens no vídeo que aparece abaixo.

Welch, que deixou o Korn em 2005 depois de se tornar um cristão e retornou à banda oito anos depois, falou sobre a crítica que recebeu dos membros mais conservadores da comunidade cristã por fazer parte da cena do rock secular, que muitos acreditam ser sombria e mal.

“Eu passei por uma mentalidade religiosa antes também, e eu lembro que eu disse ao baixista do Korn que eu estava, tipo, ‘Como você pode ir tocar essas músicas, bro? Você deveria vir comigo. Nós faremos outra coisa por conta própria “, admitiu Welch. “Então eu entendi isso, eu não estava atacando ele como as pessoas fazem on-line, mas eu tenho essa mentalidade, então eu tento não ficar muito louco, mas quando eles te atacam, fica realmente desanimador, e é difícil não ficar amargo Mas estou tentando encorajar as pessoas a fechá-lo, cara, porque se você não está amando, então está perdendo tudo.”

Ele continuou: “Sabe, ‘o amor é paciente, o amor é amável’, diz Paulo em I Coríntios 13, e não rude. E todos eles são rudes lá fazendo isso. Então eu chamo de gangsters de teclado, porque eles estão atrás do computador do teclado e eles nunca falariam desse jeito com as pessoas, mas online, eles são [viciosos], e por isso é realmente desanimador “.

O guitarrista acrescentou: “Eu apenas diria, vocês devem apenas … você tem que quebrar isso, cara. Isso é tudo sobre amor, e é como, deixe o Senhor ensiná-los lentamente através das Escrituras e tudo o que deixar vai em suas vidas e no tempo.Talvez vai demorar anos para algumas pessoas para deixar as coisas fluírem , mas temos que dar-lhes paciência. ”

Ambos Welch e o baixista do Korn Reginald “Fieldy” Arvizu tiveram altamente público, embora separado, experiências de conversão, aqueles que foram saudados com um certo montante de ceticismo.

Welch se juntou ao Korn por causa de algumas apresentações ao vivo em 2012 antes de se tornar oficialmente parte da programação novamente no início de 2013.

O livro de memórias de Fieldy, “Got The Life: My Journey Of Addiction, Faith, Recovery And Korn”, detalha suas lutas com o vício de drogas e álcool durante os primeiros anos de Korn e como ele se tornou um cristão nascido de novo para ajudar como sóbrio.

Traduzido de Lanomia’s Lair


The Order Of Elijah apostata e deixa de ser cristã graças a ateu famoso

1464826202

Por Bruce William, Fonte: Metal Injection, Tradução

The Order Of Elijah é uma banda de deathcore de Joplin, no Missouri que, até alguns dias atrás, se intitulava uma banda de metal cristão. Eis que, no dia 21 de maio, o vocalista Shannon Low renunciou a sua fé – e levou o resto da banda consigo – explicando em detalhes numa longa postagem no facebook os motivos que o levaram a tal ato:

“The Order of Elijah

há ± 2 semanas

WARNING: This is a novel.

Well I’m not sure where to start. I was baptized at 20 and quickly decided I was called to be a pastor. I spent a decade+ on up’s and downs with life, visited some churches, did a lot of drugs/sex and played guitar in some metal bands. Later I joined a church I liked called Ignite here in Joplin and fell in love with it. It was small then and it grew quickly. The pastor and I became friends, encouraged my marriage, married us, etc etc.

A few year later I played guitar for the worship team on Sundays and was a leader in the teenage youth group. For the first time ever I felt I was doing what god had called me to do. I’m not going to continue with how all that came to an end because the story gets longer. The story short is it all fell apart. I’m just pledging this flag to let you know how passionate I was about Christ and having a ministry. This was the time when TOOE was taking root and forming. Many people have completely discredited that passion, not only recently but through the years.

The divorce began about 1 year after our daughter was born. I can easily say it was the roughest season of life I’ve ever had. After 5 years of being sober I found myself drowning in alcohol every night again. I decided to return to church in search of inner solace again. I was welcomed with open arms. Some things had changed but I was feeling at home at Ignite again.

One Sunday morning there was a sermon that spoke about Elisha and the bears. After a large group of children make fun of Elisha for being bald he curses them in the name of god (which I thought was a commandment not to do). God sends out two female bears to rip the kids apart limb from limb. Now this story disturbed me. I thought “I’ve read the whole bible, how did I overlook this?” So I began asking some questions and found each person had a different apologetic answer for this story. Some said “You don’t understand, calling someone bald back then was horrible.” or “You need to realize these children were heretics and needed to die so their seed didn’t spread.”

This enticed me to see how many other things I had overlooked. I found stories of an old war general sacrificing his virgin daughter in payment for a war victory, guidelines on how to beat your slaves, and an ocean of relentlessly cruel stories. This didn’t break me though. I still claimed Jesus, I said to myself “Jesus must have realized everyone was insane and there to set it straight.” Which many people were quick to inform me that was blasphemous because Jesus condones and quotes the old testament quite frequently. I still stuck to my guns but received a lot of flak by my spiritual peers for not understanding why the OT god was so racist, ethnic cleansing, jealous as an insecure girlfriend, cruel and power hungry.

So this led to research about the history of the bible. I never knew that the earliest gospel wasn’t written until half a century after Christ supposedly died, or that Paul never read any gospels, or that there isn’t even any evidence from that time that Jesus existed. Now that doesn’t mean he never did, I mean we don’t have writings from Socrates but still know he existed. Although the eye witness accounts were long gone by the time the gospels were written, not to mention many of the miracles are similar to other gods from before his time. I look at how people of Christian faith today intermingle their beliefs with “Karma”, which is a Hindu belief, and can’t help to wonder how many beliefs were intermingled in the iron age. I picked up a book called The God Delusion which talks about how all of this chaotic puzzle adds up, it answered so many questions that my Christian friends would literally get furious for me to even address.

Sometimes I would lose Christian friends by simple pondering certain questions. I would see these same Christians publicly calling my other friends “abominations” for being gay. The pastors making millions with feel-good sermons and theatrics, the abortion clinics being bombed, children dying because their parents insist on using faith healing, the barbarism of middle eastern Islam, the list goes on…. all of this cruelty justified by each particular sect in the name of their god’s love. Who’s god? Religion’s bad attributes began outweighing it’s good.

It seemed to me that if god was trying to speak through us he was going about a very peculiar and inconsistent way. Each section of the world was born into a religion that directly contradicts other religions, often in a “hell fire” sort of way. This is not the way TRUTH behaves. In India 2+2 is 4. In Afghanistan 2+2 is 4. And in America 2+2 is 4. If god’s message to us was so vitally important why would he give it to us in vague, ancient scriptures filled with contradictions? Why allow his message to be spread by fallible humans and sit by while idly while falsehoods are spread in his name? Why sentence 2/3’s of the world to hell for being born in the wrong culture? I’d think a perfect god would never need to correct his word if our literal souls depended on it.

After one of the most difficult decisions in my adult years, I had no choice but to accept that I had shed my faith like a cocoon. It was scary yet liberating, it confusing yet simple, I felt at peace yet completely shaken, I pretty much had to reprogram my way of thinking about the world. Not only that, I felt I had lived a lie for half my life. I read books, tried meditating, hell sometimes I’d even try to talk to god.

After a few months I read about the science of addiction and life trauma. I stopped trying to pray my alcoholism away and began combating it with real methods. I began confronting my problems head on rather than “giving them to god”. I became very interested in researching science and the culture of other religions daily. I eventually completely gave up alcohol, got my health back, and enrolled in college. I’m proud to say I have a 3.75 GPA.

So here we are today. Look, I love you guys and I’m sorry I’m not a Christian anymore. This is honestly me completely coming out of the faith closet, I tried to avoid throwing all my mental baggage into the road but you guys very important to me and the rest of the TOOE crew. I’m not looking to debate anyone in the comments or anything. I understand that apostasy is highly shunned upon, you guys just deserve to know the whole truth. Special thanks to Will Strotz for reaching out to me instead of getting angry.

Don’t hesitate to message me if you have questions or even come speak in person on our tour.

Shannon Low

Resumindo, ele diz ter concluído que a religião é incapaz de responder suas dúvidas, e que após ler o livro “The God Delusion” (“Deus, um delírio”, no Brasil) de Richard Dawkins, lançado em 2006, achou a resposta para muitos de seus questionamentos.

“Amo vocês e peço desculpas por não ser mais cristão”, disse Low aos fãs da banda, e anunciou que eles vão fazer uma turnê em junho intitulada “God’s Unwanted”. Obviamente a página da banda no facebook pegou fogo, quem dominar o idioma britânico e estiver interessado em participar da discussão pode conferir no link abaixo:

https://www.facebook.com/theorderofelijah


Vox Heaven: Projeto audacioso do White Metal nacional

1460369357

Por Mario Alves, Fonte: Site Vox Heaven

Já pensou um CD com a participação de 25 dos melhores vocalistas cristãos da cena brasileira, dentre eles Celso de Freyn (ex-STAUROS), Neno Fernando (ex-ETERNA), Batista (ANTIDEMON), Julio Santos (ex-IAHWEH), Mario Pastore (PROJETO HAMLET), German Pascual (ex-NARNIA)?

Vox Heaven, vem com uma proposta totalmente diferente e inovadora, idealizada e dirigida por Celso De Freyn (ex-STAUROS), onde a maior parte das 15 faixas serão cantadas em duetos pelos convidados. O “CD” Vox Heaven irá conter músicas em inglês e português, será lançado no final de julho.

Mas não é só o time de vocalistas que chama atenção neste projeto, os músicos convidados também trazem um peso especial para o projeto Vox Heaven, e além de músicos nacionais, há também músicos de grandes bandas do White Metal internacional. Confira abaixo alguns dos principais nomes do projeto:

Destaques nas guitarras: Rex Carroll – EUA (WHITECROSS), Renato Lucindo – (STAUROS), Martin Hall – Suécia (GERMAN PASCUAL), Rick Rainstrom – (ex-ROB ROCK).

Destaques no baixo: Ozeias Rodrigues (STAUROS), Raphael Dafras (ALMAH) e Jason Freitas (ex-ETERNA)

Destaques no teclado: Ricardo Augusto – (Banda EFRATA) e William Vankar (WATERGHOST/HARAM)

Outros músicos ainda podem ser confirmados, e fica a nossa torcida para o sucesso deste projeto, e quem sabe Vox Heaven tome um rumo como o aclamado projeto AVANTASIA de TOBIAS SAMMET, que saiu dos estúdios e invadiu os palcos.

Site:
http://www.voxheaven.com


Trump e Hillary também têm laços com bandas de rock cristão

news_img_f_1459549615

O aspirante a presidente Ted Cruz há alguns dias estrelato virou estrela de meme de Internet depois que as pessoas especularam – usando imagens lado a lado – se o senador do Texas tinha alguma semelhança com um membro do Stryper. A aparente semelhança de Cruz com o vocalista Michael Sweet foi bastante estranha, e, embora o candidato não pudesse dizer que ele tinha um passado no rock cristão, os dois são pioneiros em suas respectivas áreas de atuação, somente isso.
Chamou à atenção do NewReleaseToday, através de imagens de arquivo que, apesar de suas respectivas campanhas de tentar matar a história, tanto o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Rodham Clinton passaram algum tempo na década de 1980 como membros de bandas de rock cristãs.
Trump tem uma notável semelhança com o pandeirista de curta duração do Whiteheart, o misterioso “Jack-John Dollar”, no entanto não é coincidência. Uma fonte próxima ao Trump disse ao NRT, sob condição de anonimato, que os dois são um no mesmo.
“Nos anos 80, Donald estava tentando encontrar a si mesmo”, disse a fonte. “Ele tomou aulas de pandeiro, e antes que você percebesse, ele estava tocando rock’n roll com o Whiteheart. Em última análise, ele não conseguia manter o ritmo para salvar sua vida, e ele voltou para o investimento imobiliário e desenvolvimento, apesar da música ser sua verdadeira paixão.”
Clinton, que esteve envolvida na política a maior parte de sua vida, desapareceu por seis meses em 1987, e por um tempo ela estava em um retiro espiritual no Tibete,  e uma foto inédita da sua curta participação no 2nd Chapter Of Acts veio à tona .
Quando perguntada sobre o envolvimento de Clinton, a ex membro do 2nd Chapter Of Acts Annie Herring – que aparece na foto com Clinton – disse ao NRT que ela se juntou à banda graças a alguns amigos em comum, quando eles estavam em turnê no Arkansas. Herring quebrou seu dedo grande do pé ao descer as escadas, e não poderia dar assistência durante seis meses enquanto ele se curava, por isso, “Clinton se ofereceu”, disse ela.
Em notícia relacionada, Bernie Sanders – que é judeu – não esteve em nenhuma banda de rock cristão, mas
ele mantém  o hobbie de tocar uma gaita média.

Texto traduzido (aos risos) de New Release Today.


Michael Sweet perdoa Phil Anselmo por atitude impensada

1455281111

Por João Paulo Andrade

Michael Sweet, do STRYPER, recentemente se pronunciou sobre a atitude de Phil Anselmo no último Dimebash, quando o vocalista do DOWN e ex-PANTERA fez um gesto de saudação nazista e gritou um infeliz “white-power” para a plateia.

“Então, tenho certeza que todo mundo na comunidade metal ouviu sobre o fiasco de Phil Anselmo. Cada artista de metal (ok, não todos, mas muitos) se pronunciou. Eu vejo da seguinte forma: Phil cometeu um erro (um erro muito grave) com seu gesto racista e frase. Todos entendemos que não existe lugar para racismo nos dias atuais. Fomos todos criados iguais aos olhos de Deus e por isso devemos ser tratados com igualdade. Com respeito, dignidade e amor. Mas quando alguém começa a beber demais muitas coisas são ditas e feitas que podem ser ofensivas e machucar. Não é desculpa. Mas acontece.

O que está me chateando é o fato de que o cara fez um pedido de desculpas público e foi homem suficiente para ir lá na frente e engolir seu orgulho e pedir perdão. Parece simples para mim. Ele está realmente arrependido. Eu perdoo o cara e considero que isso foi um erro. Viva e aprenda e não cometa o mesmo erro uma segunda vez e siga em frente.

Talvez minha forma de pensar seja simples para algo como isso. Mas eu sei de uma coisa: Deus ama e perdoa não apenas Phil mas todos nós, se pedirmos por perdão. Porque nós não podemos perdoar?

Eu perdoo você, Phil, e eu o amo, irmão.”


Imagem

Disponível a Heaven’s Banger #3 para aquisição

banner_03