Living The Life Without Labels

Posts com tag “cinema

Jaspion vai ganhar remake brasileiro nos cinemas

Filme tem aval da Toei Company e é produzido pela Sato Company

Jaspion vai ganhar um remake brasileiro. Para celebrar os 30 anos da estreia do herói dos “tokusatsu” no Brasil (em 22 de fevereiro de 1988 foi exibido o primeiro episódio de O Fantástico Jaspion no Clube da Criança da TV Manchete), a Sato Company vai produzir um filme que será rodado por aqui e estrelado por atores brasileiros.

A ideia é modernizar o visual do personagem e não economizar nos efeitos visuais. “Estamos bastante empolgados com a produção do longa. Resgatar um dos mais expressivos tokusatsu exibidos no Brasil, tendo a oportunidade de criar uma nova história e dar um update no personagem será um desafio encantador. Para nós, é uma honra ter tido a permissão de realizar esse sonho”, explica Nelson Sato, CEO da Sato Company, empresa responsável por trazer ao Brasil outros conteúdos audiovisuais japoneses como National Kid, Ultraman e Cybercop.

O remake tem o aval da Toei Company, produtora original de Jaspion, conforme explica Yusei Nagamatsu, Senior Manager da empresa: “Este é o melhor momento para lançarmos o filme, são 110 anos de imigração japonesa no Brasil e 30 anos da série.  Nosso parceiro para essa produção é a Sato, que conhece o mercado há mais de três décadas, tendo sido a grande responsável pela introdução do conteúdo japonês no Brasil”.

O elenco será anunciado durante o festival de filmes japoneses, que acontecerá em agosto, dentro das comemorações dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. A estreia é prevista para meados de 2019.

Fonte: Omelete

Anúncios

Filme do Bibleman chegará aos cinemas em maio de 2017

news_img_f_1459494413

Como Batman V Superman: Dawn of Justice explodiu a bilheteria, o último de uma série de filmes de super-heróis maciçamente popular, um amado favorito amigo de fé vai começar um novo universo cinematográfico.

Os criadores das populares séries direct-to-video dos anos 1990/início de 2000 , Bibleman, se reuniram e já começaram a produção antecipada para um novo filme estrelando o super-herói evangélico.

Bibleman Reemerges está programado para 12 de maio de 2017. A versão para cinema não é apenas um reboot do cavaleiro da Espada do Espírito; é a criação de um gênero de filmes totalmente novo : super-heróis baseados na fé.

“Bibleman trouxe para uma geração de crianças cristãs um herói para olhar para cima”, disse Mark Burnett, produtor executivo de Bibleman Reemerges. “Em uma época de super-heróis, estamos animados para trazê-lo de volta com a tecnologia de hoje e a mensagem atemporal que ele traz.”

O Bibleman original, o ator Willie Aames de Eight is Enough e Charles in Charge , não vai vestir o traje do Bibleman, mas ele vai reprisar seu papel como Miles Peterson – que serve mais como um mentor de confiança para o novo Bibleman, interpretado pelo rapper Nate “NF”Feuerstein em sua estréia como ator da grande tela.

“Eu sempre quis ser um super-herói”, NF a repórteres em uma BiblemanCon – a convenção anual para todas as coisas do Bibleman – no início deste ano. “Eu acho que é uma extensão natural da imagem e mensagem que eu tenho vindo a colocar para a frente como um artista.”

De acordo com o site oficial do filme, a trama traz Ricky Young (Feuerstein), um adolescente problemático, já que ele considera se juntar a uma gangue e vende drogas nas ruas. A operação policial pela polícia aterra o adolescente na cadeia, onde a comunidade de voluntários Miles Peterson (Aames) é atribuído ao mentor dele. Peterson, eventualmente, compartilha com ele o poder de Bibleman, bem a tempo de pôr abaixo uma nova ameaça vil um Supremo Tribunal, que foi substituído por robôs ateus empenhados em substituir o lema “In God We Trust” por We Trust Nothing”


O filme é declaradamente apenas o primeiro de um desenvolvimento Bibleman Cinematic Universe, onde os heróis adicionais, vilões e temas serão introduzidos, conforme o estúdio informou. Dependendo do sucesso da Bibleman Reemerges, existem vários outros filmes sendo planejadas, incluindo um filme independente para a ajudante de Bibleman, Coats.

“É claro que há uma forte demanda por filmes de super-heróis amigos de fé e entretenimento”, disse Burnett. “E nós temos o melhor dos dois, além de algumas efeitos especiais muito assassinos, os lotes de fogo, e de conteúdo em tempo hábil.”

E ainda por cima, NF é contratado para fornecer várias músicas para a trilha sonora, incluindo o single que recentemente vazou , “Depths of Despair (Swing That Sword Fool).”

No caso de você precisar de uma recordação sobre Bibleman …

Traduzido de New Release Today.


Filmes “Deus Não Está Morto 2” e “Os Dez Mandamentos” estreiam nos cinemas em 2016

os-dez-mandamentos

O primeiro semestre de 2016 vai marcar o lançamento de dois filmes cristãos nos cinemas brasileiros, um internacional e outro nacional. “Deus Não Está Morto 2” e “Os Dez Mandamentos” trazem consigo a expectativa de sucesso de bilheteria.

O chamado “cinema cristão” está em evidência atualmente. Na esteira de Hollywood – que tem usado histórias bíblicas para megaproduções, como “Noé” e “Êxodo – Deuses e Reis” –, as produtoras de filme cristãos têm investido em novas histórias. O sucesso recente do filme “Quarto de Guerra”, que fala sobre a importância da oração na superação de problemas conjugais, é uma amostra disso.

“Deus Não Está Morto 2”, continuação do filme homônimo lançado em 2014, vai colocar os protagonistas em situações opostas, e novamente traz a participação da banda gospel Newsboys.

No primeiro filme, um aluno desafiava um professor ateu a provar que Deus estava morto. Agora, a atriz Melissa Joan Hart (conhecida como a intérprete da bruxa Sabrina em um seriado dos anos 1990) vive uma professora que usa citações da Bíblia Sagrada como forma de enriquecer o conteúdo durante suas aulas, e uma das alunas, Brooke (interpretada pela atriz Hayley Orrantia) não aceita esse tipo de postura.

O embate sobre religião e Estado laico vira um desentendimento e gera uma ação na Justiça, e é na Corte que o filme mostra seu ápice, com a refutação dos argumentos usados pelo advogado de acusação e a mobilização de pessoas em defesa da liberdade de expressão e crença.

A equipe de produção continua a mesma, com a manutenção do diretor Harold Cronk e da dupla de roteiristas Chuck Konzelman e Cary Solomon, que também assinam o filme “Você Acredita?”.

Deus Não Está Morto 2

No caso de “Os Dez Mandamentos”, o longa-metragem da novela produzida pela TV Record estreia em fevereiro, com distribuição da Paris Filmes, e trará novas cenas e um novo final.

De acordo com Marília Toledo, produtora executiva da Record, o filme de duas horas será muito mais do que um resumo dos 176 capítulos da novela: “O foco do filme é a história de Moisés, desde o seu nascimento até a sua morte. Portanto, todos os personagens que foram criados livremente, sem embasamento bíblico ou histórico, terão a sua participação cortada ou diminuída. A força da história de Moisés, de seu embate com Ramsés e da libertação do povo hebreu é tão grande que merece ser contada dentro de uma estrutura cinematográfica”, explicou.

Os Dez Mandamentos

Fonte: Gospel+


O demônio pede passagem

Trecho da crônica de Gregório Vivanco Lopes, em Agência Boa Imprensa – (ABIM)

O ambiente criado pelo mundo moderno é propício à ação diabólica.

Casos individuais de entrega ao demônio, sempre os houve na história da humanidade pecadora. Mas provocavam horror. O que sobretudo preocupa nos nossos dias é uma certa aceitação social do fenômeno diabólico, uma falta de rejeição proporcionada à sua enorme gravidade.

Rolling Stones

unnamed

Anos atrás, o líder dos Rolling Stones, o veterano Mick Jagger, depois de dizer que não consegue viver sem suas tournées musicais, acrescentou: “Um dia terei que pagar meu tributo ao diabo, como Fausto. Mas, por que vou deixar de desfrutar do sol de hoje para pensar nas nuvens de amanhã?”, ao jornal “Clarin”, de Buenos Aires (14-3-08).

A comparação com Fausto chama a atenção. Fausto, personagem central de um romance de Goethe, é um intelectual desiludido com o mundo, que não consegue mais encontrar sentido para a vida e pensa em suicídio. A solução vem de um demônio que se propõe acompanhar Fausto em sua vida terrena, satisfazendo suas vontades, em troca de sua alma. Fausto aceita, selando com seu próprio sangue um contrato.

Ainda falando de si mesmo, o roqueiro acrescentou enigmaticamente: “A pessoa que sobe ao palco não é idêntica ao Mick Jagger real. Se eu aparecesse numa festa com minha personalidade do palco, me expulsariam aos pontapés”.

É só a ponta do iceberg

2

Até hoje repercute a entrevista dada em março de 2008 pelo Dr. Tiziano Masini, Procurador Substituto da República, em Varese (Itália), que esteve encarregado de representar a Procuradoria no processo Bestie di Satana (Animais de Satanás). Tratava-se de um grupo de satanistas jovens da província italiana de Varese, que esteve na origem de diversos assassinatos e suicídios rituais, com grande repercussão na Itália.

Explica o Dr. Masini: “O que se vê atualmente é apenas a ponta do iceberg. […] Eles se reuniam para celebrar missas negras e invocar as forças do inferno. […] Penso que seja fruto destes tempos em que estão em voga horóscopos, leituras esotéricas, magos e cartomantes. […] Creio que o fenômeno tem sido subestimado por alguns setores eclesiásticos. Acrescento que uma parte da Igreja […] permaneceu afastada do problema e despreparada”.

E prossegue: “Trata-se, sem sombra de dúvida, de um fenômeno preocupante e em expansão, muito mais do que parece. Uma das causas, tanto quanto eu pude constatar, é a desagregação da família. A maior parte dos jovens processados provinha de núcleos familiares problemáticos devido a separações e divórcios. […] Outra causa — sem falar da adoração do mal — são as más companhias. Os pais deveriam controlar mais e melhor as companhias dos filhos”.

Tendo atuado nas diversas fases do processo, o procurador Masini informa: “Todos os envolvidos –– insisto, todos –– mostravam inimizade e desprezo para com o cristianismo, e diziam falar a linguagem do anti-Cristo. […] Durante as audiências, falavam línguas estranhas, emitiam sons guturais indecifráveis e roucos, invocavam e nomeavam continuamente todos os demônios. Ademais, blasfemavam contra Cristo e a Religião católica e diziam sofrer diante de imagens e objetos sacros.”

Rock in Rio: Viagem às profundezas do inferno

3

Hoje em dia, grupos satânicos promovem abertamente missas negras, como a realizada no Centro Cívico de Oklahoma (EUA); teatros apresentam blasfêmias de todo tipo, como a peça Jesus Cristo Superstar; a ideologia de gênero nega abertamente a ordem estabelecida por Deus na Criação; o Rock in Rio de 2013 terminou com invocações satânicas; e assim por diante.

E, no recentíssimo Rock in Rio 2015, informa o site da UOL (26/9/2015): “Atração principal deste quinto dia de Rock in Rio 2015, a banda norte-americana Slipknot encerrou os shows desta sexta-feira (25) com uma viagem às profundezas do inferno “headbanger”. […] ‘Vocês não fazem ideia da honra e privilégio de estarmos aqui’, disse o vocalista Corey Taylor, com seu macacão negro. Encapetado por luzes, percussões e imagens do capeta, representado por um boneco no palco e imagens projetadas no telão, o show foi acompanhado com energia exemplar. Pulos, saltos, palmas, berros. O inferno de Dante Alighieri pintado em versão metaleira”.

Um filme há pouco lançado sobre exorcismos, explora de modo sensacionalista a ação diabólica. Além de jogos feitos através da Internet que pedem a vinda do demônio. Exorcistas sérios advertem. Tudo isso parece uma preparação. O demônio pede passagem. Quer se instalar.


Pernalonga completa 75 anos; relembre a trajetória do personagem

533805-400x600-1

“O que que há, velhinho?” é sua frase favorita, não se sabe se ele é uma lebre ou um coelho, e ele vive fugindo de um caçador que troca as letras ao falar. Ainda não sabe quem é?

O astuto Pernalonga, personagem da série de animação Looney Tunes, está fazendo aniversário nesta segunda (27). Há exatos 75 anos, em 1940, ele fez a famosa pergunta pela primeira vez.

Foi em um curta metragem chamado “The Wild Hare” (“A Lebre Selvagem”), dirigido por Tex Avery.

O americano criou o protagonista em Nova York, ao lado de Robert McKimson. Por isso, o dublador original do coelho, o ator Mel Blanc, deu a ele uma mistura de sotaque de quem vive nas regiões do Brooklyn e do Bronx.

Em inglês, ele é chamado de Bugs Bunny. O nome vem do apelido de um dos diretores e desenhistas das animações do estúdio Warner Bros. Veja abaixo a primeira aparição do personagem em desenho animado.

DO PAPEL À FAMA

Alguns historiadores acreditam que a personalidade do coelho foi influenciada por um personagem de Walt Disney, a lebre “Max Hare”.

Happy Rabbit (ou coelho feliz), o protótipo do Pernalonga, apareceu pela primeira vez em 1938. Mas ainda era bem diferente do personagem que conhecemos: o pelo era branco e ele era mais maluco.

Ao longo desses anos, o protagonista estrelou mais de 160 curtas de animação, além de participar de outros filmes. O coelho “contracenou” com o astro do basquete Michael Jordan em “Space Jam” (1996) e também atuou em “Looney Tunes – De Volta à Ação” (2003).

Ganhou até Oscar e uma estrela na calçada da fama em Hollywood: foi premiado como “Melhor Curta-Metragem de Animação” em 1958, com o filme “Knighty Knight Bugs”.

Em 2002, foi eleito como melhor personagem de desenhos animados de todos os tempos pela revista americana “TV Guide”.

Fonte: Folha de S. Paulo


White Metal: novo filme está sendo produzido

1435586107

Por Queila Porto Fróes, Fonte: vimeo, Tradução

Estamos em 1987. As bandas de Hair Metal estão com tudo no Rock n ‘Roll Mundial. Uma das muitas bandas que disputam um lugar na história do rock é Tyger. Mas Tyger é um pouco diferente. Eles são cristãos, tentando viver o estilo de vida Rock n ‘Roll, até que, um dia, Deus coloca-lo em seus corações, a ideia de fazer músicas para Ele.

Depois de muito debate, Tyger muda seu nome para Iron Cross e usa a sua música para difundir o Evangelho. Isso não dá certo em Sunset Strip e a banda é ridicularizada por sua mensagem, mas elogiada por seu som Heavy Metal. Apesar das probabilidades, Iron Cross finalmente consegue um contrato de gravação e grava seu primeiro álbum. Sua gravadora envia-os em uma turnê.

As coisas nunca são exatamente como parecem. O povo cristão que o Iron Cross está tentando atrair rejeita a sua mensagem, por causa de seu estilo de música, e o público secular, que nunca realmente se importava com a mensagem está abraçando Iron Cross como qualquer outra banda de metal do dia.

Dizem que o que acontece na estrada fica na estrada. Mas, no caso do Iron Cross, o que acontece na estrada irá consolidar seu lugar na história do Rock n ‘Roll.

Participam do filme, John Schlitt (sim, o vocalista do Petra) e os caras da banda Chaotic Resemblance uma banda de glam metal cristão formada em 2006, Oz Fox de Stryper produziu o último álbum desses caras em 2014. A banda de verdade se torna uma banda fictícia. Também no elenco do filme está o Pastor Bob Beeman, que em 1984, viu que as igrejas não foram muito receptivas ao Metal Cristão, e começou o ministério chamado Sanctuary – O Refúgio Rock and Roll. Essa comunhão trouxe muitos músicos e grupos como Tourniquet, Deliverance, Vengeance e Mortal que logo se tornaria inovadores na formação da cultura da música cristã. O primeiro líder de adoração do santuário era vocalista do Stryper, Michael Sweet e mais tarde Jim LaVerde, baixista do Barren Cross.

Além disso, o baterista do Stryper, Robert Sweet, também foi escalado para um papel em God Gave Rock n ´Roll to You. A trilha sonora do filme é a versão do Bride da canção ¨God Gave Rock and Roll to You¨.


Disney proíbe cenas com personagens fumando em seus filmes

Cruela

Se fosse hoje, Cruela Cruel, a vilã do filme “1001 Dalmatas”, de 1961, e a lagarta de “Alice no País das Maravilhas”, de 1951, não apareceriam fumando seus cigarros (ou cachimbo, no caso da lagarta). Após uma decisão interna, personagens fumantes não serão mais retratados em produções da Disney e de empresas que pertencem ao grupo, como a Marvel, Lucasfilm e Pixar.

A decisão foi anunciada por Bob Iger, CEO da Disney, durante encontro com acionistas na semana passada. Na ocasião ele esclareceu, no entanto, que o impedimento não se aplica a casos em que fumar faz parte do contexto cultural ou histórico de uma figura da vida real e exemplificou: “Estamos fazendo um filme sobre Abraham Lincoln. Ele era fumante, e consideramos aceitável representá-lo assim. Mas em termos de novos personagens que forem criados para qualquer um de nossos filmes, nós iremos banir absolutamente o fumo”.

Diante do anúncio, o CEO foi questionado pelo médico ativista Stanton Glantz, contrário ao tabagismo, se ele apoiaria a ideia de todos os filmes com personagens fumantes passarem a possuir uma classificação etária “R”, ou “Restricted”, utilizada nos Estados Unidos para demacar produções que são proibidas para menores de 17 anos desacompanhados.

Iger afirmou que seria “um pouco presunçoso” da parte dele endossar a ideia sem saber a opinião dos outros estúdios de cinema. Mas ele concordou que a representação de fumar em filmes para menores de idade é um “problema sério” e prometeu que iria tratar do caso.

Recentemente o grupo PETA, de defesa dos direitos dos animais, pediu em carta aberta para Tim Burton, diretor da adaptação de “Dumbo”, também da Disney, alterar o final da história, fazendo com que o elefante voador e sua mãe pudessem viver em um santuário e não em um circo.

As informações são do jornal “Telegraph“.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/filmes/disney-proibe-cenas-com-personagens-fumando-em-seus-filmes-15607311#ixzz3UZEjckJA
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.