Living The Life Without Labels

Eventos

U2 celebra álbum ‘The Joshua Tree’ com espetáculo visual ambicioso

Por: Rodrigo Salem, do Folha de São Paulo.

A eterna luta do U2 contra a irrelevância sofreu um baque no fim do ano passado. A banda anunciou que, pela primeira vez, faria uma série de shows comemorativos de um disco, tocando a íntegra do álbum “The Joshua Tree”, que alçou os irlandeses para o topo do mundo há 30 anos.

Esse tipo de artifício é visto como sinal de fadiga criativa e apetite por uma grana extra. Mas na estreia mundial da turnê The Joshua Tree 2017, na noite de sexta (12), em Vancouver, no Canadá, o U2 mostrou como celebrar o passado sem deixar de pisar no futuro em um dos shows mais espetaculares da banda desde o fim dos anos 1990.

A turnê é um arrebate visual que utiliza um telão de altíssima definição de um lado ao outro do palco para construir uma sequências de filmes –quase todos dirigidos pelo holandês Anton Corbijn, que fez o visual do “The Joshua Tree” original.

Com 33 datas esgotadas em questão de horas na América do Norte e Europa –boatos apontam que o grupo pode tocar no Brasil em outubro–, seria fácil não investir no espetáculo e embolsar uma bela grana. Mas não foi o que a noite, iniciada com filas gigantes e atrasos, entregou.

O show foi dividido em três atos. O primeiro foi o caminho do U2 até o estrelato, parte em que a banda tocou sucessos como “Sunday Bloody Sunday” e “Pride” em um palco menor. A grande surpresa foi a reestreia de “A Sort of Homecoming”, música que não era tocada desde 2001.

O segundo ato foi o filé mignon: o U2 toca o “The Joshua Tree” na íntegra e na sequência original. Apoiadas pelas imagens hipnotizantes, canções que eram meio batidas do repertório (“With or Without You”, “I Still Haven’t Found…”) ganharam uma nova força. “Where The Streets Have No Name” continua sendo a música mais poderosa ao vivo que existe.

Bono não possui a mesma potência na voz dos seus 20 anos. Mas a banda preparou arranjos para suprir essa necessidade. “Red Hill Mining Town”, que o vocalista nunca cantou ao vivo porque o alcance das notas forçaria demais sua garganta, ganhou um formato soul magnífico.

Mas foi em “Exit” que o U2 mostrou a perfeita alquimia entre protesto político, visual e música, jogando anunciando “o fim do mundo à meia-noite” e chamando Trump de “mentiroso”. Por quase uma hora, “The Joshua Tree” parece o disco mais moderno do planeta. Até no emocionante fim com “Mothers of the Disappeared”, dedicada às mães da Plaza de Mayo, que perderam seus filhos durante da ditadura argentina.

Se a coluna cervical foi um show poderoso em todos os sentidos, a volta para tocar hits mais recentes foi um desastre. Neste terceiro ato, “Beautiful Day” e “Elevation” ficaram deslocadas. Em “Ultraviolet”, Bono e o guitarrista The Edge pareciam tocar músicas diferentes com o telão homenageando importantes mulheres da história.

A partir daí, foi ladeira abaixo. “One” não escapou do enfado costumeiro e Bono não se controlou quando chegou aos discursos sociais. Em “Miss Sarajevo”, o público foi inundado por cenas da Síria destruída e de campos de refugiados na Jordânia. Uma bandeira na plateia deixou o momento não apenas deprimente, mas piegas –para piorar, usaram uma gravação de Luciano Pavarotti.

Isso não foi bom para a recepção da última música da noite, a nova “The Little Things That Give You Away”, balada que deve fazer parte do próximo disco, “Songs of Experience”, ainda sem data. O público ficou desnorteado. Parecia não ser o fim, tamanho anticlímax de uma noite tão magnífica. Se a ideia era celebrar o passado, o grupo conseguiu. Agora deve apenas ajustar o futuro.

Fonte: Folha de São Paulo.


Lifehouse e Switchfoot unem-se pela primeira vez na turnê ‘Looking For Summer’

Os fãs de rock em toda a América do Norte podem esperar por Lifehouse & SWITCHFOOT juntos pela primeira vez na turnê “Looking for Summer”, oferecendo mais de 30 shows em vários locais dos Estados Unidos e do Canadá. A turnê começa no dia 23 de julho no Fillmore Auditorium em Denver, CO e será lançada no outono, culminando em The Masonic em San Francisco em 10 de setembro. A cantora Brynn Elliott vai se apresentar todas as noites da turnê.

As pré-vendas para os clubes de fãs da Lifehouse e da SWITCHFOOT começaram dia 3 de abril às 11 horas, com pré-venda adicional durante a semana, incluindo a pré-venda do cartão Citi® (terça-feira, 4 de abril às 10:00), visite http://www.citiprivatepass. Com pré-venda do Facebook (quarta-feira, 5 de abril às 10:00), pré-venda do Spotify (quarta-feira, 5 de abril às 10:00) e pré-venda do Live Nation (quarta-feira, 5 de abril às 10:00). Geral à venda a partir de sexta-feira, 7 de abril @ 10:00 AM em livenation.com. Para informações completas sobre o ingresso, visite http://www.lookingforsummertour.com.

“Estamos empolgados em anunciar que nós estamos indo em turnê com LIFEHOUSE pela primeira vez”, disse o co-fundador e vocalista do Switchfoot Jon Foreman. “Estamos chamando-a de “Looking for Summer” Tour e não podemos esperar para cantar essas músicas com você.”

Foi em 2001, quando o Lifehouse de Los Angeles, em primeiro lugar, arrebentou em grande estilo quando “Hanging by a Moment”, de No Name Face, passou 20 semanas no Top Ten, e ganhou um Billboard Music Award para “Hot 100 Single Of The Year”. Desde então, a banda lançou mais seis álbuns, três dos quais fizeram parte do Top 10 da Billboard, venderam mais de 15 milhões de discos em todo o mundo e lançaram singles como “You and Me”, “First Time”, “Whatever Takes” “Broken”, “Halfway Gone”, “Between the Raindrops” e “Hurricane”. O 7º álbum de Lifehouse, Out of the Wasteland, estreou em #1 nas paradas de álbuns independentes em 2015.

O último álbum de SWITCHFOOT, Where The Light Shines Through, foi lançado em 8 de julho de 2016 via Vanguard Records. Where The Light Shines Through é o décimo álbum da banda e o primeiro desde o muito aclamado Fading West de 2014. O álbum foi auto-produzido em colaboração com John Fields, que dirigiu o avanço multi-platina The Beautiful Letdown.

 

Traduzido de New Release Today.


Imagem

Festival de Rock Cristão em Mesquita – RJ neste próximo fim de semana


Portas abertas para o Metal Cristão: Antidemon em missão em Cuba

15894845_1839893179587768_248459936943856724_n

Após a morte do ditador comunista Fidel Castro, abre-se um novo horizonte para o cristianismo em terras cubanas. O líder da Antidemon, Pr. Batista, deixou o recado no Facebook neste dia 3 de janeiro. Segue a transcrição traduzida em português, publicada na página Antidemon En Cuba:

Na reta final de preparação para a nossa missão em Cuba, que terá lugar no final do mês de fevereiro de 2017, gostaríamos de convocar os guerreiros e aliados deste projeto de salvação. Muitos já nos enviaram mensagens… Muitos estiveram e estão em oração… alguns foram capazes de nos ajudar enviando algumas ofertas… e por pequena que fosse, nos encorajou a nunca desistir de chegar a Cuba. Ainda temos uma grande lista de necessidades para esta missão a ser feita… porque, como já tínhamos informado, em Cuba, ninguém pode nos ajudar financeiramente. Será tudo por nossa conta! As viagens aéreas (um irmão já nos garantiu a compra das viagens de ida e volta), hospedagem, alimentação e transporte interno… tudo terá ofertas voluntárias de pessoas como você.
Então, se você sentir de estar conosco nesta missão… escreva para nós e transmita os nossos dados. Não importa o quão pequena seja a tua ajuda, certamente adicionados a outros vai fazer uma diferença enorme e nos dar a oportunidade de conhecer esse desafio. Lembre-se de enviar o seu nome completo para pintar a bandeira de Cuba que queremos para fazer flicker em cada evento.
Um grande abraço.
Que Deus abençoe.
Batista Antidemon.”

Então, chegou a nossa vez! Vamos ajudar a espalhar a mensagem do Evangelho em Cuba!


DcTalk se reúne no palco para apresentação surpresa

news_img_f_1476252814

Houve um burburinho entre os artistas que viajam no tapete vermelho no 47º Dove Awards, na noite de terça, da Gospel Music Association, de que o desempenho do superstar da música cristã TobyMac seria algo inesquecível.

E eles estavam certos.

Pela primeira vez em mais de uma década, TobyMac tem a banda de volta juntos com ele: Michael Tait (atualmente de Newsboys) e Kevin Max reunidos como dcTalk, tocando a música “Love Feels Like” ao vivo para um público atônito.

O grupo de Toby começou com uma versão reduzida do seu atual single “Til The Day I Die” antes de as luzes se apagarem. Um vídeo reproduzido, com Toby falando sobre o dcTalk e seu coração, ao fundo “Love Feels Like“, a música lançada em 2015 no This Is Not A Test.

Então, Toby começou a canção, e foi gradualmente acompanhado no palco por seus companheiros da banda dcTalk. A multidão no Allen Arena da Universidade de Lipscomb levantou-se e respondeu em voz alta e com entusiasmo, para dizer o mínimo.

Será que isso só acontecerá? Será que nós realmente apenas testemunharemos o reencontro do dcTalk no Dove Awards?” perguntou o apresentador em êxtase após o desempenho na premiação.

O dcTalk é reconhecido como um dos grupos mais bem sucedidos e pioneiros da música cristã, depois de ter dominado a indústria durante os anos 1990 antes de entrar em um “intervalo” indefinido no início de 2000. O trio vencedor do Grammy passou a perseguir projetos solos, que incluiu o surgimento de TobyMac, Tait substituindo Peter Furler como vocalista do Newsboys e, por um tempo, Max fronteia um Audio Adrenaline revivido.

O desempenho vem como o mais recente sinal de vida nova para a banda, na sequência de notícias na primavera que dcTalk iria se reunir para o Jesus Freak Cruise no próximo verão, em 2017. Não há planos de reunião adicionais anunciados para depois do cruzeiro, no entanto, se o desempenho no Dove Awards foi qualquer indicação, é impossível saber exatamente o que o grupo pode ter na manga.

Traduzido de New Release Today.


He-Man terá episódio inédito e crossover com Thundercats

20176876

A febre dos remakes dos anos 1980 ganhará novo capítulo nos próximos dias quando a animação He-Man e os defensores do universo ganhar um episódio inédito. Exibida originalmente entre 1983 e 1985, a série fez muito sucesso no Brasil quando foi exibida pelo programa Xou da Xuxa (da Globo), tendo ganhado até linha de brinquedos — atualmente, a série é reexibida pelo canal infantil Gloob. No início dos anos 2000, um remake já tinha sido produzido para o canal Cartoon Network. A trama acompanha He-Man em uma luta para proteger o reino de Eternia do super vilão Esqueleto.

Chamado The curse of the three terrors, o episódio será exibido na quarta -feira, um dia antes do início oficial da Comic-Con em San Diego (Estados Unidos).

Em junho a DC Comics e a Mattel anunciaram que farão um crossover entre He-Man e ThunderCats — outra animação popular nos anos 1980 — para uma HQ com estreia prevista para outubro. Em seis partes, a série será publicada mensalmente a partir de 5 de outubro. A nova trama vai colocar o vilão de ThunderCats, Mumm-Ra, em missão para adquirir a Espada do Poder de He-Man para poder destruir os ThunderCats. Seu plano acaba criando uma grande crise que junta Lion-O, Cheetara, Tygra, Panthro, WilyKit e WilyKat com He-Man, Gato Guerreiro, Teela, Mentor e o resto dos Mestres do Universo.

Fonte: Zero Hora


Escândalo na música gospel envolvendo verba pública. A Banda Resgate se recusa a participar da maracutaia.

banda resgate

Esta semana fomos presenteados com um exemplo de ética cristã e, antes de tudo, de cidadania. E para os cansados das “vergonhas”dos evangélicos, a boa notícia veio de onde menos se espera, o tal cenário musical gospel.
Bom, não tão inesperado assim para quem conhece os dinossauros do Rock da Banda Resgate, mas ainda assim, uma surpresa para a maioria.
Recentemente, a Prefeitura da cidade goiana de Anápolis, um dos municípios com maior percentual de população evangélica do país, andou pressionada (e cobrada) pela população organizada e pela mídia local por gastos no patrocínio de shows e eventos (gospel, inclusive). Em um momento em que o poder público não consegue prover com o que arrecada o mínimo nos serviços básicos de saúde, limpeza e educação, torrar centenas de milhares de reais em eventos de entretenimento não parece fazer o menor sentido.
No entanto, dois eventos “evangélicos”, organizados na cidade parecem ter conseguido o “milagre da verba pública”. O primeiro foi um encontro de jovens de uma Assembleia de Deus do ministério Madureira (Aff, quem imaginaria!) e o segundo o II Festival de Música Gospel. Juntos, os dois eventos custaram aos cofres públicos mais de 320 mil reais.
E foi justamente o II Festival de Música Gospel que produziu o verdadeiro milagre, não o dá captação da verba pública, mas o do vislumbre de quem há quem não tenha se dobrado à Baal no meio da música gospel. Sim. Há remanescentes!
A Banda Resgate ao tomar conhecimento de que o evento para o qual foram convidados seria financiado com verba pública em meio a grande celeuma da mídia local, se adiantou e cancelou a sua participação, conforme nota reproduzida a seguir. Outras personalidades convidadas, entre outras: Kleber Lucas e Disco Praise não aderiram ao protesto e devem se apresentar.
Banda Resgate cancela show em Anápolis após saber que seria paga com dinheiro da Prefeitura - Portal 6 Google Chrome, Hoje at 05.16.13

Refrigerio é o que define.

A vergonha gospel já está metida até as narinas na lama dos eventos musicais financiados com verbas públicas e à serviço da política eleitoreira. Em 2011, Ana Paula Valadão se envolveu em um escândalo na gravação de um DVD patrocinado pela prefeitura de Natal envolvendo um cachê de 250.000 reais e que foi objeto de investigação pelo Ministério Público. (confira AQUI).
Fonte: Genizah