Living The Life Without Labels

Bob Dylan motiva aposta entre cientistas que citam letras em artigos

dylna

Do G1, em São Paulo

O cantor e compositor americano Bob Dylan motivou uma aposta entre cinco cientistas de um centro de pesquisa na Suécia, informa nesta segunda-feira (29) o “Guardian”. De acordo com o jornal britânico, os acadêmicos do Instituto Karolinska disputam para ver quem reproduz, em seus respectivos artigos científicos, o maior número de versos escritos pelo artista. O campeão vai ser aquele que, até a aposentadoria, somar mais citações. O prêmio é um almoço num restaurante de Estocolmo, capital sueca.

Clique aqui para ver a foto dos cientistas apostadores e fãs de Bob Dylan.

Tudo começou em 1997, depois de um texto publicado na revista “Nature” pela dupla de cientistas Jon Lundberg e Eddie Weitzberg. O título era “Nitric Oxide an Inflammation: The answear is blowing in the wind”. Ele citava um dos versos mais conhecidos de Dylan – faz parte da música “Blowin’ in the wind”.

Alguns anos depois, os cientistas Jonas Frisén e Konstantinos Meletis usaram outra referência a Bob Dylan. Publicado em 2003, o texto “Blood on the tracks: A simple twist of fate?” foi ainda mais longe, ao mencionar tanto o título de um disco (“Blood on the tracks”, de 1975) e como o nome de uma música desse mesmo disco (“Simple twist of fate”). O tema do trabalho era a transformação de células sanguíneas em células nervosas.

Em seguida, Jon Lundberg e Eddie Weitzberg publicaram “The biological role of Nitrate and Nitrite: The times they are a-changin” (citação a “The times they are a-changin'”, de 1964). Foi então que resolveram enviar um e-mail a Jonas Frisén anunciando formalmente a aposta. A partir dali, a competição ficou intensa.

Novamente ao lado de Konstantinos Meletis, Frisén publicou em 2010 o artigo “‘Eph receptors tangled up in two’ in cell cycle”. A resposta do time adversário veio no ano seguinte, com “Dietary nitrate – A slow train coming”.

O quinto participante da corrida é Kenneth Chien, que já citava Bob Dylan fazia tempo e sequer conhecia o “combate” entre os colegas. Em 1997, ele havia publicado o artigo “Tangled up in blue: Molecular cardiology in the postmolecular era”.

Segundo o “Guardian”, a disputa não é restrita a artigos científicos. Vale também para introduções de livros, editoriais e textos similares.

Em agosto, os cinco apostadores participaram de um encontro promovido por um jornal do Instituto Karolinska. Durante a conversa, todos se disseram grandes fãs do músico americano, que foi tema recorrente do bate-papo.

Mas em entrevista ao jornal “The Local” Weitzberg teria admitido: “Eu gostaria muito mais de ficar famoso pelo meu trabalho científico do que pelas minhas citações a Bob Dylan”.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s