Living The Life Without Labels

Enfermeira é demitida de creche após explicar a colega lésbica porquê a Bíblia define a homossexualidade como pecado

Sarah-Mbuyi

 

Uma enfermeira cristã foi demitida de seu emprego por expressar seu ponto de vista, baseado nos princípios cristãos, de que a homossexualidade é pecado.

Os empregadores de Sarah Mbuyi resolveram desligá-la da empresa por falta grave quando souberam do posicionamento dela a respeito do assunto. A enfermeira havia falado sobre o porquê a Bíblia define a homossexualidade como pecado para responder a uma dúvida de uma colega de trabalho.

De acordo com o Charisma News, Sarah trabalhava na creche desde abril de 2013, e mantinha um bom relacionamento com a colega lésbica, com quem passou a ter conversas intensas sobre o significado do cristianismo.

No começo deste ano, a colega expressou tristeza por não poder casar na igreja com sua parceira e afirmou que acreditava que Deus era tolerante com a homossexualidade. Sarah  tentou explicar o contrário à colega: “Quando eu disse que ‘não, Deus não tolera a prática da homossexualidade, mas tem amor por você e diz que você deve ir a Ele como você é’, ela se emocionou e saiu para me reportar ao meu patrão”, relatou a enfermeira.

“Eu nunca a condenei ou acusei, mas quando ela me perguntou diretamente o que eu acreditava, eu estava aberta a partilhar o ensino da Bíblia que homossexualidade não é certo, é errado. É claro que isto a ofendeu e ela estava determinada a me ver demitida simplesmente porque eu expressei crenças cristãs tradicionais”, lamentou Sarah.

Depois de uma audiência disciplinar unilateral em que Sarah foi acusada de iniciar a discussão sobre o assunto, os diretores de creche a despediram imediatamente por falta grave, o que é equivalente a justa causa.

A entidade Christian Legal Centre, que presta apoio jurídico aos cristãos na Inglaterra se manifestou na figura de sua diretora, Andrea Williams, e prestou apoio à enfermeira: “Compartilhar as verdades bíblicas de amor genuíno e preocupação com colegas está sendo proibido no local de trabalho por um acerto cultural dominante. Há uma cultura do medo, que fecha a liberdade de expressão e a manifestação de fé. Esta cultura marca a libertadora Boa Nova do Evangelho como opressiva e regressiva”, afirmou.

 

De acordo com Andrea Williams, “o caso de Sarah demonstra a confusão que estamos enfrentando nos tempos atuais. [O primeiro ministro inglês] David Cameron deu o reconhecimento público do enorme impacto positivo que Jesus Cristo teve na nossa nação, mas ele quer moldar o cristianismo à sua agenda política. História mostra que o cristianismo é maior do que qualquer agenda política”, pontuou a executiva, fazendo referência às propostas favoráveis à militância homossexual que vem sendo debatidas no Reino Unido.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s