Living The Life Without Labels

Com terço e muita oração, P.O.D. mostra ótima técnica em show de São Paulo

Por Diego Camara

Um dos principais expoentes do Metal Cristão, o Payable on Death (P.O.D. para os mais chegados), desembarcou no Brasil para mais uma série de apresentações em nossas terras. A última apresentação, em São Paulo, viu a banda ser recepcionada por um Carioca Club totalmente lotado, onde em torno de 1200 pessoas cantaram em alto e bom som os sucessos da banda e os lançamentos do último disco “Murdered Love”, de 2012. Confiram abaixo os principais destaques do espetáculo, com as imagens mais que sensacionais do nosso fotografo Kennedy Silva.

Foto: Kennedy Silva

Foto: Kennedy Silva

 

A banda entrou no palco as 19h40m, com 10 minutos de atraso do que fora afirmado pela produtora. A entrada do público na casa de espetáculo foi realizada com antecedência e correu perfeitamente bem, sendo feita com lentidão e bastante controle. Porém, a calmaria acabou quando as cortinas se abriram e os fãs puderam ver de perto Sonny Sandoval e companhia. O público, extremamente feroz, já arregaçou com as primeiras notas de “Murdered Love”, fazendo um show a parte do que era realizado no palco do Carioca Club.

Em “Boom”, aberta com um belíssimo solo de guitarra de Marcos Curiel, o Carioca Club literalmente tremeu com os pulos e o empurra-empurra dos fãs. Sonny Sandoval, com seu estilo extremamente despojado, corria de um lado para o outro e animava todos os fãs. O público, porém, explodiu de verdade quando Sandoval resolveu dar uma chegada mais, digamos, intimista: descendo do palco, o vocalista subiu sobre a barreira, cumprimentou e foi agarrado pelos fãs da banda. Destemido, ele cantou junto com o público e fez valer mesmo quem ficou na porta do show desde cedo pra pegar aquele lugar na grade.

Levantando as mãos ao céu e sempre com um terço entre os dedos, Sandoval não era muito de conversa, mas pelos seus atos tornava o público ainda mais apaixonado. Sabendo emocionar como ninguém, o vocalista deu uma aula em músicas mais calmas como na abertura de “Babylon the Murderer” e na fantástica “Beautiful”. O misto de calmaria e agressividade, presente na primeira, causou ainda reação impressionante na plateia, com uma roda brutal.

Outro que realmente dita o ritmo é Marcos Curiel. Extremamente técnico para encher os ouvidos do público com grandes solos de guitarra, o guitarrista também não podia conter sua alegria e satisfação. A recepção do público brasileiro realmente é única nos shows de metal alternativo, que não se vê em outros gêneros.

Como todo show, porém, nem tudo foi exatamente perfeito. O cover de “Bullet the Blue Sky”, do U2, destoou do resto do espetáculo e não condisse com o resto da apresentação. Parecia ruim, o perder de mão de uma plateia que já parecia, aos olhos da banda, um pouco cansada (de se explicar, sendo que era sexta-feira após longo dia de trabalho). Sandoval, porém, soube tirar do público ainda um fôlego pra finalizar o show.

“Alive”, um dos principais sucessos da banda do álbum “Satellite”, de 2001, mostrou o que o público ainda tinha pra dar. Foi sem dúvidas a melhor da noite, com um vigor impressionante da banda, com mais um salto do vocalista para interagir de pertinho com o público e uma plateia que não ficou nenhum segundo parada. Ao contrário, mostraram que eram bons de gogó e cantaram sozinhos a música na sua finalização, fechando o show de maneira incrível.

A banda ainda voltou para o bis. Abriram com “Strenght of my Life”, sem duvidas em um ritmo mais de saideira do que da pancadaria que foi o show. Foi bom, acalmou o público e serviu como um bom “chill out” para os fãs já cansados. O show é fechado com o sucesso “Satellite”, que o público gritou com vontade e animou até o fim. Com sensação de dever cumprido, a banda ainda deve o tempo de tirar a boa e velha foto e agradecer aos fãs que mostraram mais uma vez porque o metal é um gênero que transcende idade, valores e crenças.

P.O.D. é:
Sonny Sandoval – Vocal
Marcos Curiel – Guitarra
Traa Daniels – Baixo
Wuv Bernardo – Bateria
Luis Castillo – Teclado

Setlist:
1. Murdered Love
2. Lost in Forever
3. Boom
4. Set It Off
5. Eyez
6. Babylon the Murderer
7. Without Jah, Nothin’
8. Roots in Stereo
9. Youth of the Nation
10. Beautiful
11. On Fire
12. Southtown
13. Bullet the Blue Sky (Cover U2)
14. Panic & Run
15. Alive
Bis:
16. Strenght of my Life
17. Higher
18. Satellite

 
Fonte: Resenha – P. O. D. (Carioca Club, São Paulo, 14/03/14) http://whiplash.net/materias/shows/199771-pod.html#ixzz2wQSv6fkr

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s