Living The Life Without Labels

Usos e costumes- Parte 2: O uso de jóias e outros enfeites.

BRINCOS

Esse é um tema bem discutido, tanto entre os mais tradicionais como entre os menos conservadores. Alguns dizem que o crente tem que ser simples como a pomba, não deve usar nada para se adornar, porque tudo isso é vaidade. Outros dizem que pode-se usar um brinquinho bem sutil ou até mesmo um colar que não chame tanto a atenção, pulseira só de relógio… Outros ainda dizem que piercing é definitivamente escandaloso e não se deve nem pensar em colocar um. Alguns até mesmo afirmam que quem ousa usar um piercing está sob o domínio de espíritos maus.

Mas, eu fico com a Bíblia. O que ela disser eu aceitarei de todo o coração, porque ela sim é a Palavra de Deus.

Então, vamos começar do princípio (redundante, não?)!

O capítulo 24 de Gênesis conta a história de Eliezer, o servo mais confiável de Abraão, que foi em busca de uma esposa para Isaque na terra de Naor. Eliezer não sabia qual seria a escolhida e estabeleceu um sinal com Deus para quando achasse a moça que o Senhor havia preparado. O versículo 21 relata que, diante da confirmação do sinal, Eliezer a observava atentamente e quando ela tinha acabado de dar de beber aos homens e aos camelos daquela comitiva ele tomou um pendente de ouro (piercing?) e duas pulseiras e as deu para a moça (vs. 22). O nome da moça era Rebeca, irmã de Labão, que quando viu a menina chegando em casa com aquelas jóias e ouviu a história foi imediatamente conferir quem era aquele homem. Fico imaginando alguns irmãos nossos vendo a cena e dizendo: “Mas Abraão não era crente? Como ele manda jóias pra sua futura nora? Que escândalo!”

Avancemos. Em Gênesis 35. 2, Jacó manda que sua família se livre dos deuses estranhos e no versículo 4 eles entregam os ídolos que estavam com eles e suas argolas que pendiam nas orelhas, que eram, na verdade, amuletos associados com cultos pagãos. Ou seja, devemos nos livrar de todo tipo de idolatria.

Ainda em Gênesis (41.42) vemos o faraó pondo seu anel na mão de José, e ainda o mandou vestir roupas de linho fino, e lhe pôs ao pescoço um colar de ouro. Os crentes de hoje diriam: “José desviou!”.

O que a gente aprende até aqui é que os patriarcas usavam jóias normalmente, só rejeitando aquilo que estava ligado diretamente aos cultos pagãos.

Em Êxodo 32.2, 3 vemos Arão num ato louco pedindo ao povo que tire seus brincos para derreter e fundir um bezerro de ouro para um culto idólatra, que provocou a morte de um monte de gente. O interessante é que esse texto escandaliza muitos crentões por aí, quando afirma que homens usavam brincos entre o povo de Israel. Confere o texto do versículo 2: “Tirai as argolas de ouro das orelhas de vossas mulheres, vossos filhos e vossas filhas…”. Escandalizante, não?! E quando eles tiraram foi justamente pra pecar!

Tempos depois, o povo de Israel recebe a notícia de que, devido á sua má postura, Deus não iria subir para a terra prometida no meio do povo. Êxodo 33.4-6 relata que desde o monte Horebe em diante o povo não usou mais seus enfeites. Que tristeza para aquele povo! Nem queriam mais usar suas jóias. Essas jóias depois foram ofertadas ao Senhor para a obra da tenda da congregação conforme Êx. 35.22. Em Nm. 31.50 os oficiais e capitães do exército de Israel fazem uma oferta parecida, só que dessa vez com os despojos da guerra contra os midianitas.

Em Provérbios 1.9, Salomão compara o ensino de um pai e a instrução de uma mãe a um diadema e colares. No capítulo 25 vs 12, o sábio repreensor é comparado a pendentes e jóias de ouro puro.

Triste cena é relatada pelo profeta Isaías (3.16-26), quando ele refere o julgamento de Deus sobre as filhas de Sião, elas perderam todos os seus adornos e jóias. Ezequiel 16.1-21, mostra uma cena parecida. Confere lá!

Jeremias 2.32 diz que a donzela não esquece seus adornos, nem a noiva o seu cinto. Embora, no 4.30 o profeta chorão mostre que beleza exterior não é essencial.

O nosso irmão fiel e paciente Jó (42.11) foi compensado pelo Senhor ganhando dos seus parentes e amigos (de cada um) um anel de ouro.

Daniel (5.29) foi honrado por Belsazar com uma cadeia de ouro ao pescoço.

Até Jesus, na parábola do filho pródigo, disse que o pai recebeu o filho de volta e o honrou pondo-lhe um anel no dedo (Lc. 15.22).

Em lugar nenhum a Bíblia proíbe  o uso de jóias e adornos. Deve haver limites? Com certeza. O bom senso e a cultura local definem perfeitamente os limites e padrões para se usar os enfeites dentro de padrões aceitáveis. Lembrando sempre: nosso corpo é templo do Espírito Santo.

Mas a questão não se restringe ao uso de jóias e enfeites, no próximo post trataremos dos cabelos, não apenas das mulheres mas dos homens também. Aguardem!!!

Paz extrema! God bless you!!!

Autor: Amauri Menezes, Metal Missionary.

Anúncios

2 Respostas

  1. Mims

    O que você acha de piercing e alargador? :/
    Eu li e não vi nada muito consistente sobre isso.

    27/07/2011 às 21:31

    • Sobre piercings e alargadores eu penso o mesmo que das demais joias e enfeites. Pra mim dá na mesma um brinco ou um piercing, tanto faz. A Bíblia não proíbe o uso dos mesmos. Ok? God bless you, Mims!

      28/07/2011 às 21:53

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s